Image Map

Imagine Harry Styles | Future Teacher (Pedido/Parte 1)

em 29 de novembro de 2015 | 10 comentários:


Pedido por: Ana Paula
Faça seu pedido → aqui ←
Comentem, por favor, principalmente a dona do pedido.

Mudar de casa é ruim, de emprego e país é pior ainda.
(seu nome) fez exatamente todos os citados.
Mudou-se recentemente para a Inglaterra para preencher a vaga de professora de história em Holmes Chapel Comprehensive School, suas amigas que moram no pacato vilarejo Holmes Chapel que a fizeram a proposta e por estar desempregada ela pensou: "Por que não?”.
Um mês depois de absorver a ideia de suas amigas e preparar tudo para a radical mudança, deixando sua família inteira no Canadá, (seu nome) estava agora arrumando uma parte de suas coisas em sua nova casa.
Seria uma mudança e tanto, agora em outro continente respirando novos ares, talvez conhecendo pessoas novas (seu nome) só pensava em entrar na sala de aula para poder fazer o que mais gosta; transmitir conhecimento, principalmente se isso envolver fatos e acontecimentos passados.
Depois de arrumar alguns objetos decorativos em sua estante, (seu nome) resolveu checar seu celular que estava no silencioso desde que começou a organizar algumas de suas coisas. Havia dez chamadas perdidas e cinco mensagens, pressionando o polegar na tela abrindo primeiro as mensagens.

Kaaaat - 18:30
"Dá para atender A DROGA DO SEU CELULAR?"

Kaaaat - 20:35
"Hey! Te deixei em paz dois dias desde que chegou, agora estou super livre para te incomodar... Vamos a um pub? Atende logo essa merda! Estou te ligando desde às 4 da tarde."

Kaaaat - 20:40
"Não me obrigue a te matar!"

Kaaaat - 21:00
"Já que tirou o dia ou a noite (tanto faz) para me ignorar... Só quero avisar que estarei aí em uma hora. Esteja pronta ou prepare seu velório!"

Tay Tay J -21:02
"VAMOS PARA UM PUB!!! \o/ VOCÊ VAI ADORAR OS CARAS BRITÂNICOS... SÃO TÃO PERFEITOS!!! J"

Você - 21:08 "Kaaaat "
"Desculpe, eu estava ocupada e não escutei o celular... Eu vou sim, já que estou sendo intimada a isso!"

Você - 21:09 "Tay Tay J
"Sem caras... Vamos somente para a noite das garotas J"
Tay Tay J - 21:11
"Você faz tudo parecer tão sem graça L"

Kaaaat - 21:12
"Você já esta pronta? Estou quase aí!"

Você - 21:12 "Tay Tay J"
"Desculpe se caras não são a única coisa que eu penso :/ "

Você - 21:13 "Kaaaat "
"Estou indo me arrumar!"

Tay Tay J - 21:13
"Você é péssima com indiretas _|_ "

Kaaaat - 21:15
"E o que está esperando? Vá logo!"

Depois de perder um pouco do tempo que Katherine a deu para se arrumar, (seu nome) correu pela casa entrando no quarto ainda sem decoração e com algumas malas espalhadas - por estar com muita preguiça para arrumar as roupas sobre em seu guarda-roupa - pegou uma mala preta que estava em um canto do quarto e jogou algumas roupas sobre a cama até que se desde por satisfeita em escolher um vestidinho preto.
Já com a roupa escolhida e um par de saltos também preto aos pés da cama, (seu nome) foi para o banheiro tomando um banho rápido e logo se pondo somente de toalha em frente ao espelho penteando os cabelos e optando por deixa-los soltos. Voltou para o quarto, vestiu uma calcinha rendada rosa, o vestido e calçou os saltos andando ate uma maleta pegando o frasco de seu perfume favorito dando algumas borrifadas em lugares estratégicos de seu corpo.  
Com a maleta em mãos caminhou até o banheiro começando a maquia-se, batom cor vinho e os olhos apenas com uma sombra leve.

[..]

Depois de pegar uma carona com a Kat, que já estava com a Tay no carro, as três amigas partiu para um pub em uma cidade não muito longe dali, os planos da noite é somente uma saída casual de amigas para colocar os assuntos em dia. 
Tay não parava de falar o quanto estava carente, mesmo tendo um cara para cada semana do mês garantindo sua diversão e Kat só falava no namorado perfeito estilo príncipe. (Seu nome) apenas ouvia o que suas amigas tinham a dizer e expressava sua opinião enquanto bebia um copo ou outros das bebidas que estavam sobre a mesa, ela estava tão absorta nas loucuras que suas amigas contavam sobre o que já haviam aprontado na cidade que ao menos percebia o que ocorria sua volta.
Não muito longe mesa das amigas, um par de esmeraldas não tirava o foco de uma delas, sua visão era atraída de tal forma que parecia pecado parar de olhá-la um só segundo, ele só estava esperando a deixa para poder se aproximar e tentar a sorte, não que ele precise de sorte, apenas um pouco de coragem.
E como almejava, a garota se levantou da mesa rumando em direção ao banheiro, ele sorriu de lado e tomou o último gole de bebida que restava em seu copo e caminhou discretamente atrás dela e antes que ela entrasse no banheiro ele a segurou pela cintura prensando-a contra a parede.
– Eu fiquei te olhando desde que chegou aqui... - a voz rouca do rapaz soou em meio ao silêncio e seu rosto estava provocantemente próximo ao da desconhecida
– Ah é?! Bom para você! - sorriu forçado tentando se soltar dos braços em sua volta 
– Você não pode fugir de mim. - passou seu nariz pelo pescoço alvo da moça sentindo o cheiro doce de seu perfume
– E você não pode insistir algo que eu não quero! - tentou empurrá-lo, mas foi em vão.
– As resistentes são as mais selvagens... - ele proferiu a fazendo franzir o cenho não acreditando no que acabou de ouvir
e foi então que ela o olhou com mais atenção, percebendo o seu rosto juvenil... Sua pele clara, lábios rosados, uma pinta discreta um pouco abaixo do canto esquerdo de sua boca e cabelos cacheados jogados em uma direção apenas.
O típico cara gostoso do colegial.
– Você não tem cara de ser experiente no assunto. - rebateu e ele riu "ele tem covinhas" pensou
– Você só saberá quando provar! - disse com um sorriso sacana brincando em seu rosto a fazendo rir
– Crianças não deveriam dizer esse tipo de coisa... Quantos anos você tem? Quinze? - debochou e ele pareceu se assustar
– Claro que não! - respondeu quase no mesmo instante - Quer dizer... O que eu estaria fazendo aqui se não fosse maior de idade?
– Eu não sei... Me diz você! - (seu nome) o encarou
– Eu sou Edward e tenho dezenove anos. - ele disse como se tivesse ensaiado a horas não passando segurança do que dizia
– Você não parece ter essa idade, mas de qualquer forma... - tirou os braços dele de sua cintura - Eu não estou interessada! Agora, se me da licença... - sorriu forçado mais uma vez e por fim entrou no banheiro
Rindo baixo da abordagem do rapaz, andou até o espelho arrumando alguns fios rebeldes de seu cabelo, abaixando a cabeça para ver se sua roupa estava amassada. Sem ao menos perceber, braços voltaram a rodear sua cintura e ela foi virada sendo surpreendida por um beijo desajeitado e apressado.
Em modo automático, as mãos de (seu nome) foram para a nuca de Edward com seus dedos emaranhando-se entre os curtos cachos, seus lábios cederam passagem para a língua do rapaz retribuindo fervorosamente o beijo. Em um momento de lucidez, (seu nome) o empurrou acertando fortemente a palma de sua mão no rosto do dono dos olhos verdes.
– AU! - levou a mão no local atingido a olhando desacreditado - Por que fez isso? Você retribuiu!
– Só... Cala a boca!
(Seu nome) o puxou novamente iniciando outro beijo, dessa vez um beijo mais quente, mesmo confuso Edward retribuiu mantendo suas duas mãos apertando a cintura da mulher. Depois de alguns poucos minutos, (seu nome) desceu os beijos para o pescoço de Edward colocando suas mãos debaixo da camisa branca que ele estava usando e arranhando levemente seu abdome enquanto deixava marcas que ficaria por dias em seu pescoço.
Sabendo o que viria a seguir sentindo os dedos macios de (seu nome) descer por seu corpo, Edward mordeu o lábio ao que sua calça deslizou até seus joelhos e seu membro excitado se livrar do local apertado que se encontrava antes.
– Sente-se na bancada! - falou autoritária e Edward não pensou em ao menos contestar, obedeceu rapidamente ofegando ao ter o contato de sua bunda no mármore gelado. 
Sem esperá-lo ao menos pensar em como respirar, (seu nome) se curvou segurando seu membro abocanhando-o por completo fazendo com que Edward não conseguisse segurar o gemido alto que ecoou por todo o lugar.
O quão ruim seria ser pegar pagando um boquete para um desconhecido?
Bem, no momento ela não se importa... Ela só quer fazer uma caridadezinha a uma pessoa que estava visivelmente desesperada por isso, por que para segui-la até o banheiro feminino só estando bem necessitado.
Tirando lentamente o membro de sua boca, (seu nome) passou a língua pela glande deixando um leve beijo no local, ela não poderia negar, ele é gostoso e valia esse boquete quase que em público. Seus olhos se focaram no rosto do rapaz enquanto sua mão o masturbava quase que lentamente, havia um pouco de suor brilhando - por causa da luz - em sua testa e sua expressão deixava transparecer claramente o prazer que ele sentia.
Os olhos verdes se encontraram com os castanhos de (seu nome) e ele logo deu um sorrisinho de lado.
– Vamos logo com isso... - arfou - Por favor... - gemeu mordendo o lábio
Um riso baixo escapou da mulher e logo ela estava com o membro em sua boca novamente, mas dessa vez os movimentos eram mais rápidos e precisos para fazê-lo gozar, uma de suas mãos acariciava os testículos de Edward que gemia mais alto do que deveria.
Sentindo as veias do membro de Edward engrossar, (seu nome) sabia que ele perto de gozar, mas antes que isso pudesse acontecer a porta do banheiro abriu e um ser de cabelos lilás presenciou toda a cena parada na porta.  
– Uou... Se eu soubesse que algo assim estava acontecendo aqui eu não sairia da minha mesa. - Kat se virou de costas para os dois e (seu nome) se concertou rapidamente limpando os cantos de sua boca 
– Eu... Eu já estava indo. - andou até a amiga
– Mas... - a voz mais rouca que o normal de Edward pôde ser ouvida, mas logo foi interrompida
– Adeus Edward! - e assim (seu nome) saiu do banheiro puxando Katherine pelo braço
(Seu nome) se sentia um pouco constrangida, só um pouco mesmo, nunca pensou que uma de suas amigas a veria em uma cena tão peculiar com um cara que ela ao menos conhece.
– É... Não comente com ninguém o que viu, por favor! - parou a amiga antes que chegassem à mesa
– No momento eu só estou focada em esquecer ou arrancar meus olhos. - riu e voltou a andar até a mesa
Edward ainda duro ficou mais um tempo no banheiro para se aliviar, não acreditando que foi deixado ai a mercê de sua sorte com uma puta de uma ereção para cuidar sozinho, ele nem ao menos havia perguntado o nome dela.
Ao se aliviar, ele saiu do banheiro a procurando por toda a parte, mas infelizmente o que encontrou foi a mesa em que ela e as amigas estavam antes completamente vazia.

[...]

(Seu nome) acordou no dia seguinte com a cabeça quase que explodindo, tomou um remédio e arrumou a bolsa que levaria para a escola na segunda-feira, ela mal podia acreditar no que havia feito na noite anterior, nunca tinha feito algo do tipo e não estava arrependida.
Com os cabelos perfeitamente arrumados, cada fio em seu devido lugar, (seu nome) saia agora da sala do diretor acompanhada pelo mesmo que a mostraria a sala onde iria dar sua primeira aula.
Ela estava ansiosa, mas não era algo que ela deixava transparecer, o diretor a explicava - novamente - algumas normas da escola enquanto caminhavam calmamente pelo corredor. Eles pararam em frente a uma sala com a porta branca - igualmente todas as outras - e (seu nome) respirou fundo sorrindo para passar confiança a si mesma. 
Quando o diretor abriu a porta chamando a atenção de alguns alunos que estavam em pé no fundo da sala conversando e rindo, (seu nome) podia jurar que sentiu seu coração parar à medida que seu sorriso ia sumindo de seu rosto enquanto o garoto de cabelo cacheado se virava, parecia que o mundo havia começado a girar em câmera lenta até que seus olhos se encontraram com os olhos verdes novamente e o dono deles não pode esconder o sorriso que faltava pouco rasgar seu rosto ao vê-la novamente.
Só podia ser brincadeira... Que diabos ele estava fazendo ali?

Continua...

Hey Angels!
Aqui estou eu depois de um longo tempo, mais uma vez peço desculpas (isso está virando rotina, desculpa :/) Escrever está virando um desafio para mim, eu escrevi o começo desse imagine três vezes e ainda não estou satisfeita com o que fiz... Era para ele ser postado ontem a noite, mas ocorreu vários imprevistos e eu tive que digitá-lo quase que cinco vezes. Se tiver mais erros do que o comum é por que eu não o corrigi.
Eu usei o segundo nome do Harry porque.. Sei lá, deu vontade :)
Ana Paula, comente o que achou, por favor, desculpe qualquer coisa... Quase que eu postaria o imagine sem saber seu nome, quando eu comecei a escrevê-lo você se identificou kkkk
Ps:. Coloquei como professora de história por causa da minha amiga da escola, Mirian, ela ama história.

Imagine Louis Tomlinson | Tomlinson de Merda (Pedido/Hot)

em 3 de novembro de 2015 | 6 comentários:


Pedido por: Mariana
Faça seu pedido → aqui ←

Nesse momento me encontro atrasada, acabei de acordar dez minutos depois da hora que acordo todos os dias e tudo por culpa do meu vizinho idiota que ficou a noite inteira dando uma droga de festa, até agora me arrependo de não ter chamado a policia para deter aquele delinquente.
Corro para o banheiro e tomo um banho rápido, escovo os dentes e arrumo o cabelo em um rabo de cavalo meio torto, mas não posso ficar consertando. Volto para o quarto pegando minha roupa e vestindo com cuidado para não estragar mais ainda o meu cabelo, pego minha mochila e corro para a cozinha, minha mãe e meu pai já devem ter saído como sempre.
Sento no banquinho em frente ao balcão e como uma tigela de cereal, olho o relógio na parede da cozinha e vejo que se eu não me apressar vou chegar apenas quinze minutos antes do sinal.
Empurro a tigela para um canto e levanto pegando minha mochila no chão, da minha casa até a universidade é dez minutos, faltam vinte cinco para o sinal soar o que me tira quinze minutos para pegar os livros no meu armário e revisar uma matéria... Tomlinson de merda!
Saio apressada pela porta da frente a trancando em seguida, vejo a grama de casa molhada e uma poça a alguns metros, o que me da à certeza que choveu durante a noite e eu não peguei nenhum casaco. Bufo e começo a andar pela calçada, escuto uma buzina e nem me importo em olhar para trás, é provavelmente um amiguinho idiota do Tomlinson que veio o pegar para irem para a escola, amigos tão idiotas como ele.
– Ei (Seu apelido), quer uma carona? - escuto sua voz carregada de ironia, ignoro e continuo a andar - Tudo bem... Você é quem sabe! - pude ouvir sua risada ridícula e contornei uma poça gigante que pegava metade da rua
Apertei as alças da minha mochila a consertando em minhas costas, abaixei a cabeça para olhar meus tênis e foi nessa hora que ouvir um carro acelerar, antes de eu conseguir me virar completamente toda água da poça se encontrava sobre mim.
Passei as mãos sobre os olhos e vi o carro dando ré com a maldita cabeça do maldito Tomlinson do lado de fora da janela, o olhei irritada sacudindo os braços e passando as mãos sobre minha roupa.
– Desculpe (Seu nome), meu amigo Harry pisou no lugar errado. - e junto com seu sarcasmo veio às risadas exageradas, apenas mostrei o dedo do meio para ele.
O carro arrancou e Tomlinson sumiu da janela, fiquei parada olhando o carto até que ele sumisse, peguei meu celular na bolsa e pela hora se eu voltasse para me trocar chegaria atrasada. Continuo a andar tentando inutilmente secar minha roupa, não já basta dormir pessimamente a noite durante do dia Tomlinson ainda não perde a chance de me atazanar, tudo isso por que dei um fora nele na oitava série, eu era somente uma menina inocente que achava garotos nojentos, ele poderia esquecer e seguir em frente, mas não, a partir desse dia ele declarou guerra.
Tomlinson de merda!
Entrei pelo portão atraindo olharem e risadas, Tomlinson estava encostado na porta principal como se me esperasse... Claro que está me esperando.
Reviro os olhos e continuo entrando como se ninguém estivesse ao meu redor, passo por ele e o ignoro completamente como sempre, entro nos corredores e percebo que estou sendo seguida.
– Por que você tem que ser tão chata? Não pode simplesmente me xingar e ficar histérica? - ele estava de frente para mim andando de costas e mais uma vez foi ignorado - Qual é (seu nome)?! Faz alguma coisa! - bufou frustrado e eu apenas o mostrei o dedo do meio uma segunda vez entrando no banheiro feminino
 Me tranquei em uma das cabines jogando minha bolsa em um canto e tirei minha roupa a torcendo para tirar pelo menos o excesso da água, assim que o fiz me vesti de novo pegando minha bolsa jogando sobre o ombro, saio da cabine indo até o grande espelho solto o cabelo e o balanço deixando-o solto para secar, saio do banheiro caminhando direto para sala enquanto ouso o sinal.
Estou na penúltima aula e tive que aguentar as piadinhas do Tomlinson e seus amigos, sim, eles estudam na minha sala. Malditos.
Não é fácil ignorar uma pessoa quando esta parece ser formada em tentação que foi cursado no próprio inferno.
Tomlinson é bonito? Sim, super!
Mas parece o próprio filho do demônio quando se trata de mim, ovos e papel higiênico no Halloween, bombas de tintas em catapultas no armário, tortas na cara nas aulas extracurriculares de culinária, desenhos idiotas meus nas aulas de artes, comida jogada em minha roupa na cantina e poças de águas perto de casa... Eu ainda não sei como consigo não dar na cara dele.
Tomlinson de merda!
Copio atentamente o que o professor escreve no quadro até sentir uma bolinha de papel atingir minha cabeça e eu sei muito bem de onde ela vem, então apenas tento ignorar por que odeio ser incomodada quando estou concentrada na matéria, isso me irrita muito.
Logo uma segunda bolinha e no mesmo lugar, suspiro irritada e ignoro, afinal, é apenas um Tomlinson de merda. E então uma terceira me atinge mais forte me fazendo sentir todo esse negócio de ignorar ir para o espaço.
– TOMLINSON DE MERDA! - me levanto gritando e jogo a caneta em minha mão em sua direção vendo ele se abaixar para não ser acertado no olho.
– O que está acontecendo? - vejo o professor parar ao meu lado pela minha visão periférica - (Seu nome) e Louis, para a direção agora! - ele decreta bravo
– Mas... - o professor me repreende com o olhar e escuto o Tomlinson rir - Maldito Tomlinson! - saio da sala em passos rápidos e pesados
– Te irritei legal agora não é?! - debochou rindo ao meu lado
– Se você não calar a porra dessa boca eu vou te socar, idiota! - o prendi no armário com meu antebraço em seu pescoço e encarando seus olhos
– Talvez eu goste de ser socado por você... - sorriu cafajeste fazendo com que minha visão se prendesse em sua boca lindamente rosada... Pera O QUÊ? Deleta esse pensamento!
Quem eu quero enganar? Esse Tomlinson de merda me atrai desde que descobrir sermos vizinhos.
– Não fale asneiras! - o solto e continuo meu caminho
– Espera! - ele segura meu braço - Quem ainda fala asneira? - ri enquanto me encara
– Eu falo... Se solta agora! - olho sua mão em volta do meu braço
– Não seja tão dura comigo (Seu apelido)... - ele fez bico
– O que quer comigo?
– Sua atenção! Desde que me deu aquele fora e começou a me ignorar eu faço de tudo para ter sua atenção, mesmo que seja de uma maneira negativa, mas você continuava a me ignorar. - ele desabafa e só então eu percebo que ele esta acariciando a minha mão
– Já acabou o seu discurso? - escondo o quanto isso mexeu comigo e solto minha mão da sua - Precisamos ir para a diretoria! - me viro e sinto sua mão em meu pulso
– Tenho um lugar muito melhor para te levar e quero ver essa pose de garota intocável se esvair de você. - ele sorri de lado me puxando para um corredor na direção oposta da diretoria e que leva aos fundos da universidade onde não é mais usado
– Para onde está me levando? Se estiver achando que vai abusar de mim está enganado! - sua gargalhada ecoa pelo corredor
– Não vai ser abuso se você quiser... - ele abre uma porta no fim do corredor e vejo que estamos na antiga sala de reuniões
– E quem disse que... - fui calada com a boca de Tomlinson na minha enquanto ele me prensava contra a grande mesa no meio da sala, retribui o beijo colocando meus braços em trono de seu pescoço e ele apertou minha cintura me colocando sentada sobre a mesa - Louis... - murmuro contra seus lábios
– Diz meu nome mais uma vez? - ele sussurra em meu ouvido mordendo o lóbulo da minha orelha
– Cala a boca... - murmuro e ele me olha indignado
– Menina má! - morde forte meu queixo
Tomlinson tira a minha blusa e tira meu sutiã, sinto seus dedos dedilhar minha barriga e logo os sinto em meus seios me proporcionando uma série de arrepios, ele sorri para mim e leva sua boca de encontro ao meu pescoço, jogo a cabeça para trás o dando total acesso ao meu pescoço. Uma de suas mãos desce até a minha calça a abrindo e sua mão adentra minha calcinha, fecho os olhos arfando com o toque de seus dedos.
– Gostosa e molhadinha... - sussurra e chupa meu pescoço, seus dedos começam a massagear meu clitóris.
– Louis... - mordo o lábio
– Implora... Implora por mim! - ele ri sacana circulando minha intimidade com o dedo
– Maldito... Oh... E-eu quero... Quero você... - falo entre gemidos
– Boa garota! - ri selando nossos lábios
Ele tira a própria camisa, logo depois desce minha calça juntamente à calcinha, suas mãos vão até meus joelhos abrindo ainda mais minhas pernas me deixando completamente exposta.
– Tão linda... - passa sua dois dedos sobre minha vagina - Melhor do que eu já imaginei! - morde o lábio e começa a tirar apressadamente sua calça e cueca
Mantive meu olhar em seus movimentos vendo sua mão masturbar seu pênis enquanto ele ficava entre minhas pernas, Tomlinson se posicionou em minha entrada e colou seus lábios nos meus me penetrando de vez.
Apertei minhas unhas em suas costas gemendo alto e abafado, droga, é a minha primeira vez.
Mesmo com os olhos fechados os senti se encherem de lágrimas pelo ardor, Tomlinson pareceu perceber e se manteve estático dentro de mim até eu parar de apertar minhas unhas contra a pele das suas costas.
Ele começou movimentos lentos acariciando minhas coxas, separei nossos lábios e apoiei minha testa em seu ombro com a boca entreaberta deixando alguns gemidos baixos escaparem, agora a sensação era uma que nunca tinha sentido antes.
As estocadas foram ganhando mais velocidade e ficando mais profundas, Tomlinson gemia algo como "gostosa", "oh... Como é apertada".
Entrelacei minhas pernas em sua cintura em busca de mais contato, sua mão apertou meu seio o massageando e sua outra mão apertava firmemente minha cintura mantendo os movimentos contínuos.
– Lou-Louis... - mordo seu ombro
– Geme... Geme para mim...
– Maldito... - aperto minhas unhas em suas costas - Eu vou...
– Vem para mim! - sinto sua mão massagear meu clitóris
– Louis... - gozo gemendo seu nome
Tomlinson leva seus lábios de encontro ao meu em um beijo apressado e urgente continuando os movimentos, seus beijos descem até meu queixo e ele tira seu membro de mim gozando sobre a mesa.
– Eu te odeio... - sussurro descansando minha cabeça em seu ombro
– Eu sei que não... - ri segurando minha cintura - Eu finalmente tive você para mim... - e antes que eu pudesse falar algo um gemido externo ecoou pela sala, levantei a cabeça olhando sobre o ombro de Louis.
– AI MEU DEUS!
Empurrei Louis assim que vi um de seus amigos no canto da sala sentado em uma cadeira se masturbando, peguei minha roupa tentando me cobrir o máximo possível.
– Que merda Zayn! - Louis esbravejou - O que faz aqui? - entrou na minha frente tapando a visão que seu amigo teria de mim
– Eu estava aqui matando aula e vocês entraram... Desculpe cara, mas não quis atrapalhar! - o ouvi dizer enquanto me vestia apressadamente
– Tudo bem cara... Só não olhe para ela! - Riu
– Tudo bem?! Você é um babaca Tomlinson! - arrumei minha blusa já em meu corpo - Como pode dizer que está tudo bem? - o encarou indignada - Isso é vergonhoso... - murmuro
– Não se preocupe amor... - acariciou meu rosto - Zayn não vai falar nada, não é mesmo Zayn?! - falou mais alto para ser ouvido pelo garoto no fundo da sala
– Não se preocupe (Seu nome)... Aliás, você é bem gostosa! - riu
– Vai à merda! - ando até a porta e antes de sair Louis me para
– Não fica brava, ele só disse a verdade. - sorriu de lado
– Você é tão idiota... - selo seus lábios - Tomlinson de merda! - empurro seu peito com uma não e saio fechando a porta
Ando pelos corredores com um sorriso no rosto, ignorá-lo por anos não serviu de nada já que minha virgindade foi entrega a ele.
Falando em virgindade, minha vagina arde enquanto ando aquele maldito poderia ter sido mais carinhoso, mas o que esperar desse Tomlinson de merda?! Meu Tomlinson de merda!

Hey Lovers!
Estou de volta para a tristeza ou alegria de vocês =^.^=
Pessoas que comentavam... estou com saudades :"(
Mas enfim... Mariana, desculpe a demora e desculpe se não saiu como você queria... Tenho que confessar que esse hot não ficou tão hot e muito menos ficou bom :/ Desculpe!
Esse nome é meio O.o Mas não parou de ecoar na minha cabeça quando eu estava escrevendo hoje mais cedo (ontem pelo horário)
Volto a qualquer hora ou dia!
Beijos e Até mais!
Pessoas que comentavam SAUDADES :'(