Image Map

Imagine Harry Styles | On The Way To Death (Pedido/Dark/Hot)

em 27 de setembro de 2015 | 2 comentários:


Pedido por: Isabelle 
Faça seu pedido → aqui ←

O que você faz no seu dia ou noite de folga no trabalho?
Alguns preferem sair com os amigos, outros gostam de descansar, ir a baladas, assistir filmes em casa, mas há uma pessoa que gosta de programas diferentes, Harry Styles é o nome dessa pessoa. Ele sente prazer ao ver sangue, sente ainda mais prazer com o sofrimento de suas vítimas, ama olhar em seus olhos enquanto elas imploram para morrer e as ver morrendo não poderia ser melhor.
Como todas as sextas, é a sua noite de folga no trabalho, ele contava as horas em seu relógio de pulso caro para sair em busca de uma vitima, não importava o sexo... Homens eram apenas mortos e mulheres eram estupradas e depois mortas. Ele havia adquirido essa sede de matar ainda na adolescência quando presenciou um homicídio, todo o sangue que continha na cena chamou sua atenção de alguma forma e ele nunca se sentiu tão atraído por algo como aquilo em toda a sua vida.
Quando atingiu a fase adulta resolveu que assassinatos seria um de seus hobbies, as pessoas que convivem com ele nem ao menos imagina o tipo de coisa que ele faz e é bom assim, Harry não hesitaria em matar um conhecido.
Seu relógio marcava 22h00min e ele pegou a chave de casa e do carro saindo em passos lentos, ele não tem pressa, a noite sempre termina de acordo com o que ele deseja, não importa quanto tempo leve, ele sempre acaba cheio de sangue no final.
Já dentro de seu carro ele dava voltas pela cidade em baixa velocidade apenas observando, algumas prostitutas quase nuas praticamente se jogavam em frente ao carro e ele apenas as ignorava. Foi assim até que no fim da rua ele avistou uma mulher fumando um cigarro encostada em um muro que dava acesso a um beco, ele parou o carro e abriu a janela colocando sua cabeça para fora.
– Está a fim de uma diversão? - sua voz soou grave nos ouvidos da mulher
– E por que eu estaria? - perguntou sem muito interesse e sem ao menos olhá-lo, já estava acostumada com esse tipo de abordagem.
– Talvez seja pela sua cara de vadia! - e assim o homem conseguiu sua atenção
A mulher olhou raivosa em sua direção já preparando os milhares de xingamentos em sua cabeça para despejar sobre o idiota que a chamou de vadia, parou instantaneamente assim que viu de quem se tratava. Se estivessem em um desenho animado com toda certeza cifrões pularia de seus olhos naquele momento, não se tratava de qualquer cara, era Harry Styles que estava ali e ela logo pensou no quanto ganharia por dormir com ele.
– Talvez eu seja mesmo uma vadia... - sorriu maliciosa - E que eu esteja a fim de diversão.
A porta do carro logo estava aberta e a mulher entrou sem saber que estava indo exatamente de encontro com a morte. Antes mesmo de ter fechado a porta, Styles já tinha arrancado com o carro em direção a sua propriedade fora dos limites da cidade.
Nenhum dos dois se atreveu a falar, Harry pensava quais instrumentos usaria e quanto tempo permitiria que ela vivesse. Já a mulher cujo nome é (seu nome), pensava em várias formas de gastar o dinheiro que ganharia.
Ambos pensando em seus planos, mas somente o de um deles se concretizará.
Depois de passarem por uma longa estrada de chão praticamente deserta, uma grande casa pode ser vista graças ao farol do carro, o seu redor estava todo escuro o que a dava um ar de sombria, um frio passou pela espinha de (seu nome).
Harry desceu de seu carro e abriu a casa entrando e acendendo as luzes, saiu novamente para apagar os faróis do carro vendo a mulher já do lado de fora. Assim que trancou o carro puxou a mulher até dentro da casa trancando a porta.
– Ei calma ai cara! - ela tentava acompanhar seus passos
Styles nem ao menos se importou, continuou a puxá-la grosseiramente até a entrada do porão a jogando lá dentro assim que passaram pela porta. Ainda no chão (seu nome) levantou a cabeça encarando tudo a sua volta e na mesma hora quase vomitou o seu coração.
Havia uma espécie de coleção de mãos em uma das paredes, na outra havia várias fotografias de pessoas mortas de jeitos diferentes, aquilo tudo embrulhou o estômago da mulher a fazendo virar seu rosto para outro lugar para poupar-se da visão, de qualquer forma não foi uma boa ideia, pois acabou se deparando com um pote grande cheio de olhos de todas as cores.
O grito que antes estava preso em sua garganta pode ser ouvido aos ecos pelo porão enquanto seus olhos eram fechados com força, ela não podia acreditar no que estava vendo. Harry por sua vez estava em pé na frente da porta apenas esperando pelo momento em que a mulher começaria a pedir misericórdia por sua vida e depois de alguns minutos isso não aconteceu o irritando profundamente.
Ela é tão burra ao ponto de não ter percebido que alguma parte dela também faria parte daquele porão?
O som de botas em atrito ao chão pode ser ouvido e o coração de (seu nome) parou por alguns segundos, até seus cabelos serem puxados para cima e um grito agudo sair por seus lábios.
– Essa é hora em que você começa a implorar por sua vida. - disse em um tom rude bem próximo ao rosto da mulher que deixava algumas lágrimas cair, nada pôde ser ouvido da parte dela - Eu estou falando com você! - gritou sacudindo a mão grudada fortemente nos longos cabelos a dando uma forte dor no couro cabeludo - Quer que eu coloque sua cabeça pendurada na minha porta?
– Por favor... - sua voz saiu entrecortada pelo choro - Não me mate... Por favor...
– Me deixe pensar... -colocou sua outra mão sobre o queixo - Não! - jogou sua cabeça contra o piso, o que resultou em mais um grito.
Harry andou até o fundo do portão pegando duas cordas as quais seriam responsáveis por prender a mulher, ele as jogou sobre a cama e caminhou lentamente até onde a (seu nome) se encontrava encolhida no chão sujo. Com uma só de suas mãos Styles a levantou arrastando até a cama, antes de jogá-la sobre a mesma começou a despi-la sem nenhuma delicadeza chegando até batê-la quando tentou impedi-lo.
Já nua (seu nome) foi jogada de costas sobre a cama, ela mantinha seu olhar preso em cada movimento de Harry, o observando prender seus braços na cama, um logo após o outro. Não havia mais nada a se fazer, ela estava completamente rendida e se tentasse algo seria bem pior, disso ela tinha total consciência.
Styles tirou sua camisa devagar a jogando em qualquer canto, puxou até o lado da cama uma espécie de mesa com rodinhas e assim que os olhos de (seu nome) visualizaram o que havia ali saltaram em desespero. Bisturis, seringas, alicates, algemas, mordaças tomavam conta de toda a espessura da mesa, normalmente você não vê todos esses objetos juntos, mas agora (seu nome) está vendo e tem certeza que não será em uma boa ocasião.
A mão de Harry foi até uma seringa e ele ajustou a dose do liquido que ali continha ejetando em seu braço, assim que o liquido acabou a seringa voltou para o lugar de antes e agora ele começa a se despir sempre sem nenhuma pressa. Depois de ter se livrado de suas roupas de baixo, Harry direcionou seu olhar para (seu nome) que chorava em silêncio, suas mãos desceram até seu membro semi duro e os movimentos ali começaram sem tirar as grandes íris verdes da mulher tão submissa para ele.
Em passos calmos Styles foi até a cama se ajoelhando no meio das pernas da mulher com a mão fazendo um caminho de sua virilha branca a seus clitóris rosados. (Seu nome) virou o rosto, mas teve o mesmo em contato com a grande mão de Harry a fazendo o olhar, ele tirou a mão de seu rosto para encaixar seu pênis na vagina a sua frente, e quando assim feito a penetrou fundo e com violência. Mas uma vez o grito de (seu nome) ecoou e ela apertou os olhos recebendo em seguida um tapa em seu rosto.
— Mantenha os olhos abertos! - a voz rouca e gélida pôde ser ouvida
E apenas obedecendo, (seu nome) os abriu, ela nessa altura faria qualquer coisa que ele pedisse somente para não piorar sua situação, ela ainda mantinha acesa a chama da esperança de que ela viveria no fim disso tudo.
Harry começou a penetrar com mais velocidade, para ele as coisas estavam muito chatas e monótonas, ele levou suas mãos ao pescoço da mulher a enforcando enquanto a penetrava, ainda não havia sofrimento suficiente.
Quando o rosto de (seu nome) começou a ficar vermelho e ela visivelmente lutar para respirar ele parou os movimentos e tirou suas mãos do pescoço levando-as em outra direção enquanto a mulher respirava com dificuldade. Styles pegou um bisturi em cada mão e olhou para as pernas da mulher esticadas uma de cada lado, sem ao menos deixá-la perceber o que aconteceria a seguir enfiou um bisturi em cada coxa puxando-os para baixo causando um grande corte, (seu nome) tomada pela dor repentina tentou levantar-se gritando de dor, mas acabou sendo jogada novamente sobre a cama por estar amarrada.
O barulho metálico pode ser ouvido duas vezes sinalizando que os bisturis haviam sidos descartados, Harry passou as mãos sobre o corte as sujando de sangue e subindo-as pela cintura, barriga e seios da mulher a deixando suja pelo próprio sangue, ele então se debruçou sobre ela mordendo fortemente seu mamilo esquerdo enquanto apertava o direito, mordidas e chupões foram distribuídos ali e os movimentos de seu pênis continuaram cada vez mais intenso.
(Seu nome) só sabia chorar e gemer de dor enquanto pedia aos céus para que aquilo acabasse logo. Harry agora com o peitoral todo molhado pelo sangue não se importava nem um pouco com o cheiro, na verdade ele nem sentia, levantou-se a desamarrando somente para deita-la de bruços e tornou a amarrá-la encaixando seu membro agora em seu ânus e mais uma vez penetrando com brutalidade.
A mulher ainda não acreditava que aquele Harry era o mesmo que passava na TV, o Harry que várias meninas idolatram sem conhecer de verdade, a dor que ela sentia era pior do que se estivesse morta e era isso que ela desejava no momento, apenas morrer mais rápido.
Ela sentiu mordidas em suas costas que com toda certeza sangrava e vinham em sequências, três estocadas uma mordida.
Harry deixou um gemido longo sair por seus lábios o que significa que ele estava perto de atingir o orgasmo, ele colocou uma mão em cada ombro de (seu nome) apertando-a sobre a cama buscando mais forças para ir mais fundo e então depois de mais algumas estocadas atingiu o orgasmo caindo sobre ela.
Um minuto até que Styles normalizasse sua respiração e pensasse no que fazer agora, aquilo havia sido chato, normalmente há mais ação, gritos e sangue por toda parte, ele estava decepcionado consigo mesmo por ter pegado tão leve com essa vadia desconhecida.
Somente pensando em acabar logo com a mulher que o fez perder tanto tempo para ser insuficiente no final, ele levantou-se, foi até uma prateleira na parede e pegou uma de suas armas com silenciador e ficou de frente para (seu nome).
– Você não foi tão divertida como achei que seria... - a arma estava em sua mão que descava ao lado de seu corpo - Achei que teria mais gritos, sangue e que você me saciaria, mas não foi isso que aconteceu. - ele levantou a arma fingindo analisa-la
– Por favor... - a voz impotente de (seu nome) soou em súplica
– Não adianta mais... Você me deixou bem triste não sendo suficiente, talvez eu tenha que ir atrás de outra pessoa quando felizmente livrar o mundo da sua existência.
– Por favor... - seu choro se intensificou
– Quem sabe em outra vida você seja melhor?! - o cano da arma agora estava em direção à testa da mulher que somente o encarava enquanto seu rosto era banhado por lágrimas - Até uma próxima vez! - o gatilho foi apertado fazendo a bala atravessar a região de seu crânio
Harry encarou por alguns minutos o corpo sem vida e de olhos abertos sobre na cama, ele andou até ela e com as próprias mãos arrancou um de seus olhos azuis acinzentados jogando dentro do pote.
Saiu do porão, tomou banho colocando agora uma roupa totalmente preta voltando até onde o corpo da mulher estava enrolando-a em um lençol e a jogando sobre seu ombro. Andou calmamente até seu carro colocando no porta-malas e partindo em direção a saída do estado, antes de atravessar o limite de um estado para o outro, ele parou o carro descendo do mesmo, pegando o corpo e um galão de gasolina. Caminhou cerca de 2 km até que jogou o corpo no chão despejando sobre o mesmo a gasolina, se afastou um pouco ascendendo o isqueiro jogando-o no corpo que logo estava em chamas.
As labaredas reluziam no olhar satisfeito de Harry que apreciava com orgulho a cena, estava terminado, mais uma pessoa morria por suas mãos e isso era bem satisfatório. Ele apenas deu as costas caminhando de volta para o seu quarto, sempre com bastante calma, sem medo ou insegurança. 
Harry Styles só conseguia pensar em quando teria sua próxima vítima.

Hiiii Lovers!
Estou aqui com mais um pedido e tenho que confessar estar bastante insegura com ele... É minha primeira vez escrevendo um dark e um lado de meu diz que exagerei e outro diz que faltou algo. Peço desculpa se não atigi a expectativa da Isabelle (autora do pedido) e se não agradei vocês.
Volto outro dia com mais um pedido... Façam mais pedidos... Fiquem a vontade, eu posso até demorar um pouco, mas todos os dias eu vejo se tem um novo.
Beijos e até! ♥

Imagine Harry Styles | Loving Virtually

em 6 de setembro de 2015 | 6 comentários:

Autoras: Nick Oliveira e Mari Barros



TIM DOM

- Já vai! – Gritei e fui atender a porta. Hoje, é dia 12 de maio, á exatos trinta e dois dias para o dia dos namorados. 
    Pra mim essa é uma das melhores datas comemorativas, depois do natal, Claro! Apesar de eu não ter namorado, eu acho essa data incrível. Infelizmente ainda não tive a oportunidade de passar essa data com nenhum... Nenhum... Amor? Garoto? Ao meu lado.

-Bom dia senhorita! – Era o carteiro

- Bom dia sr. Julian!

-Aqui estão suas cartas.

- Muito obrigado, e tenha uma boa noite!

-Igualmente

    Após fechar a porta, passei as cartas por entre minhas mãos ás mesmas contas luz, água, telefone, TV á cabo, gás, Carta de uma pessoa anô... Opa! Pra quem será essa?



    Èr... Eu exatamente não sei com dizer oi pra uma pessoa que eu nem se quer conheço.
Então, só estou te mandando essa carta, com um endereço encontrado aleatoriamente na lista telefônica. E o por quê de eu estar escrevendo essa carta pra você? Puro tédio! Você pode ser um homem e estar me achando um babaca que está gastando o seu tempo, e se for, provavelmente está balançando a cabeça de forma positiva. Mas você pode ser uma mulher e estar curiosa sobre mim, ou não. Ou essa carta nem chegou á lugar nenhum só ficará mofando nos correios até alguém resolver entregar por pena.
Então é isso...


Assinado: Uma pessoa qualquer.



Bom quem será esse homem, por que pelo jeito que ele narra parece, perece ser um homem, Certo? Bom como ele mesmo falou essa carta foi por puro tédio, então, deixa prá lá!

Depois de dar uma organizada em casa, eu tomei um banho e coloquei um pijama de frio para enfim, preparar meu simples jantar, acho que essa é a vantagem de ser sozinha. Fiz um arroz de forno com alguns legumes e frango e fui comer.
Eu comia conversando com algumas amigas por mensagem e tentava prestar atenção em Sobrenatural, uma das minhas séries preferidas. Após isso, lavei a pequena quantidade de louça e fui ao meu quarto. Liguei a TV dali e me enrolei no edredom azul.
No meu criado mudo, estava minha carta que recebi e li mais cedo. Eu não queria me importar, mas algo me chamava e me atraía. Como destinatário havia só um email, dei de ombros e peguei o notebook. Criei uma conta que não teria grandes utilidades e enfim comecei a escrever.

De: (s/iniciais) <umaanonimaquerecebeuumacarta@netnet.com>
Para: Harry <harold.styless@mail.com>
Enviada: 13 de maio, 21:54
Assunto: Re:(sem assunto)
Harry <harold.styless@mail.com>

Caro anônimo,
Através desse e-mail, digo-lhe que sua carta foi recebida por mim, a... Bom, meio cedo para utilizar nomes, não? Algo me dizia que eu realmente deveria lhe dar uma resposta!
Tenha uma ótima noite,
Uma pessoa qualquer.


Tranquila, peguei no sono enquanto assistia televisão.

Acordei no outro dia com um aperto no peito, mais o por quê daquele aperto eu não sabia, seria medo? Pode ser, não tenho tanta certeza, desci para comer alguma coisa, peguei os mini pãezinhos, que eu tanto amo passei manteiga e comi. Enquanto mexia no me celular, até que ( PLIM ) um novo e-mail chegou, eu quase ignorei pois sempre era notificações de redes sociais, mas decidi conferir, por que depois daquele e-mail que eu escrevi poderia ser um resposta dele. Mas não era e sim um e-mail do facebook me informando que Emica, minha amiga, tinha atualizado a foto do perfil.
Dois dias depois já tinha perdido minhas esperança ele realmente não responderia, talvez aquela carta teria sido só para tirar com a minha cara, ou algo do tipo, peguei meu notebook e entrei no e-mail que já estava aberto com  uma resposta na minha caixa de mensagem, só então eu me dei conta de que eu tinha feito outro e-mail para me comunicar com o anônimo – Se é que posso chama-lo assim – e o que estava logado na conta do meu celular era o meu original. Então abri o e-mail com um sorriso no canto de meus lábios.



De: Harry <harold.styless@mail.com>
Para: (s/iniciais) <umaanonimaquerecebeuumacarta@netnet.com>
Enviada: 13 de maio, 21:54
Assunto: Re:(sem assunto)

Juro que fiquei surpreso com seu retorno, caro... Não sei o seu nome, ainda, pode apostar que descobrirei. Bom o meu você aparentemente já sabe pelo user do e-mail, então eu acho meio injusto isso, mas tudo bem. Me dê pistas, você é homem ou mulher? Quantos anos? Bom...onde você mora eu já sei! Adorei o user do seu e-mail, bem criativo!

Aguardo ansiosamente sua resposta
Não me decepcione.
Tenha ótimos sonhos. J
H.S.



   Imediatamente respondi, com uma empolgação inexplicável, estava – Literalmente – Vomitando arco íris.



De: (s/i) <umaanonimaquerecebeuumacarta@netnet.com>

Para: Harry <harold.styless@mail.com>

Enviada: 14 de maio, 13:42

Assunto: Re:Re:(sem assunto)


    Quanto á meu nome, você descobrirá sim, um dia. Não acho injusto que eu saiba o seu e-mail, pois você mesmo que o disponibilizou para mim. K Okay, posso dizer se sou homem ou mulher pois bem, Sou hermafrodita. Mentira! Só quis tirar com a sua cara, queria ter visto sua expressão agora! Não achou minha piada engraçada? Tudo bem L. Sou mulher, como diria minha mãe uma menina, mas isso não em ao caso.

Pode ter certeza que tive bons sonhos.

Não o decepcionarei.

(suas inicias)


Uma notificação, de repente, apareceu no meu monitor “Harry Styles está online, chame-o para um hangout!” Mas a única coisa que fiz foi enviar o e-mail, e mais uma vez aquele aperto me veio de novo.


Olá, acabei de receber seu e-mail!


Eu não tive á coragem de lhe chamar para um hangout, mas ele teve.



Er.. olá Harry.


Olá querida “anônima” como vai?

Vou bem e você?

Estou ótimo!

Uhum...

Como foi que você recebeu minha carta?

Pelo correio?

Dããã! Kkkk que estúpido!. Mas você não me respondeu
uma coisa.

Kkkk. Que coisa?

Quantos anos você tem?


Não posso falar


Mas por quê não?

Por que você pode ser um
estuprador!

Kkk ,posso lhe garantir que não sou!


Não sei se posso confiar em você K


Tudo bem, tá legal! Mas agora
Tenho que ir.


Harry está off-line!



    
Assim que saí do notebook, fui trabalhar no café com um sorriso no rosto. O por quê? Eu não sei!
Cheguei em casa após passar no banco para pagar as contas recebidas no dia anterior. A sala estava um pouco bagunçada com cobertores e embalagens de comida espalhados, respirei fundo antes de começar a pegar as coisas. Mas algo me paralisou. Deixei o notebook ligado antes de sair e lá estavam cinco mensagens dele no Hangouts.
Oi? (12:45)




(Suas iniciais) você está aí? (12:55)



Acho que não. (13:00)



Ei, no que você trabalha? (13:01)



Eu trabalho numa livraria no período da manhã. Mas agora vou ter deixar trabalhar. (13:02)



Ri da maneira que ela queria interagir comigo, achava garotos assim extremamente legais e engraçados. Mas deixaria para responder depois, ainda precisava arrumar minha casa.




Oi, Harry desculpa é que eu
 deixei meu computador ligado, rsrs.
Nem sei como não descarregou L
 Então eu trabalho no Starbucks.


Harry está online!




Pois é eu tenho que trabalhar,
sabe como é né? Minha mãe não
sustenta mais minhas saídas!


Hum...


Então de que tipo de música você
Gosta?


Bom eu gosto de várias, em especial Rock
alternativo Gosto de bandas tipo Arctic Monkeys
Oasis, Aerosmith, Red Hot... E umas
Meio desconhecidas, tipo KODALINE.


Tá brincando?!!


O que??


Eu adoro essas bandas!


Qual a sua música favorita?



    E assim nesse mesmo pique conversamos noites e noites por pouco menos de 2 semanas, Hazza – Que me deu a liberdade de chama-lo assim – E eu descobrimos que temos várias coisas em comum, não só temos o gosto musical parecido mais sim, o gosto pela fotografia. E assim depois de um logo dia de trabalho – Tanto meu quanto dele – passamos Noites em claro conversando, pela internet.
   Até então ele não voltara a perguntar meu nome nem nada derivado a isso, o que até então me aliviava e me intrigava ao mesmo tempo. Era numa terça feira – Da semana do dia dos namorados – ele voltou a insistir.






Mas (S/i), estou intrigado com
Uma coisa...


O quê?


Eu quero saber o seu nome
Por favor... K L


È que... Sei lá!


Você não confia em mim? Por
Que se você não confiar, tudo
Bem eu saio da sua vida, por
Que eu não quero do meu lado
Uma pessoa que não confia em mim.


Mas eu confio em VOCÊ
VOCÊ é a pessoa que eu mais
Confio no momento.


Não parece...


Você tá duvidando de mim?!
Quer saber eu falo o
 meu nome pra você, é
(SEU NOME)!
Satisfeito agora?


(suas iniciais) Está off-line!



    
    Eu odeio quando as pessoas me pressionam, quando duvidam de mim! Eu confio nele, em todos esses dias que nós viemos conversando. Mas ele não precisava me acusar desse jeito. Eu sei, eu posso ter explodido mas com razão, pelo menos pra mim.
    Desliguei o computador e fui dormir.

    Dias se passaram. Harry não mandava mensagens e eu não me importava. Em pouco tempo, o garoto havia se tornado especial para mim, eu confiei nele segredos mesmo que não o conhecesse. 11 de junho, eu estava em casa, jogada no sofá com três barras de chocolate diferentes assistindo Simplesmente Acontece pela vigésima vez.
    Estava na parte em que o Alex descobre que a Rosie vai se casar com o Greg, de repente minha campainha toca me deixando surpresa, Julian não avisou que alguém subiria como sempre faz. Coloquei o filme em pausa e levantei do sofá, indo abrir a porta após prender o cabelo em um coque.
    Abri a porta e não encontrei ninguém, “com certeza devem ter sido alguns daqueles garotinhos” falo pra mim mesma. Dou mais uma olhada e quando vou fechar a porte passo rapidamente a minha visão pelo chão e vejo uma caixa com um laço amarelo em cima.
    Ao abri-la havia um Cd, de capa azul com uma margarida e um livro dentro da caixa. E em cima do cd  tinha um post-it amarelo escrito “ leia ouvindo o cd”. Parecia um cd que fora gravado, e não simplesmente comprado em alguma loja.

Leia ouvindo :  Playlist no youtube.


Conheci uma garota, por acaso do destino, talvez. Para muitos que não acreditam em destino foi pura sorte ou por algum outro motivo que eu não conseguiria explicar. Por noites e noites, que eu teria que estar planejando coisas da minha vida ou dormindo pra não ter insônia no dia seguinte,mas eu preferi ficar conversando com ela, coisas muitas vezes sem nenhuma importância. A garota que eu, de nada sabia, estava cortando meu coração em pedaços aos poucos e roubando pra si e quando eu percebi ela já o tinha roubado inteiro. Mas já era tarde de mais, eu tinha a feito duvidar do sentimento que eu mais tinha por ela, confiança.
Garota, mal você sabe mas você virou parte da minha rotina. Minhas noites são a mais pura relva sem as suas palavras.
                         Harry              




    Olhei mais uma vez para a capa do cd, com algumas lágrimas nos olhos, peguei a margarida  levei as minhas narinas e inspirei o seu cheiro, que não poderia ser melhor. Olhei mais uma vez para a carta e para o cd e levantei-me. Sabia o que tinha que fazer.
...

– Boa tarde senhorita, pra onde deseja ir?  - Perguntou o taxista.

– Para o shopping, por favor.
Não sabia em que livra ria ele trabalhava, não sabia como ele era, não sabia nada dele mas, só sabia que ele morava aqui, eu pretendia encontrá-lo de qualquer jeito.

– Bom dia, o que deseja – Perguntou a mulher do caixa da primeira livraria

– Procuro por algum funcionário chamado Harry Styles.

– Oh me desculpe, mas nenhum funcionário se chama assim aqui.

E assim pelas próximas 6 livrarias diferentes de shoppings diferentes.

– Para onde vai menina – perguntou a taxista.

– Para minha casa, rua Times Summer, por favor.

Criei tantas esperanças, que de nada adiantaram o final. Encostei minha cabeça na janela de vidro suspirei e fechei meus olhos.

– Sem querer ser intrometida, mas por que a menina está tão triste? – ela perguntou de novo

– É que, eu queria encontrar uma pessoa mas não achei em nenhum lugar.

– Onde você procurou?

– Em todas as 6 livraria de todos os shoppings.

– Por que em livrarias?

– Porque ele... trabalha em uma,  só não sei em qual.

...

– Chegamos menina. – Olho pela já nela e não vejo a fachada do meu prédio, nem a padaria do outro lado da rua.

– Mas aqui não é onde eu-

– A única livraria da cidade que não é no shopping. – Não pude deixar de sorrir.– Quer que eu te espere?

– Não sei – Falei espreitando pra dentro da livraria, bem menor que as dos shoppings.

– A gente faz assim, se der tudo certo, você faz da um joinha pra mim lá dentro se não eu fico esperando 
até você voltar. – Fui saindo do carro, até que me lembrei do pagamento.


– Ai meu Deus! Quanto é?

­– Claro que não, eu faço questão!

– Pare de ser teimosa e vá!

– Não é nada garotinha, pode ir.

– Muito obrigada, por tudo.

– De nada, e vai logo! – Dei uma gargalhada e saí do táxi em direção á livraria.

TLIM TLIM! O sininho tocou.

Olhei em volta e nada até que...

– Desculpe, mas já estamos. – Uma lindo garoto saiu do meio das prateleiras. Olhei o seu chachá espremi um pouco os olhos para enxergar o que estava escrito “Harry” De inicio eu sorri mas ao me aproximar mais um pouco reli  o crachá “Harry Edward” Meu sorriso se desmanchou no mesmo instante em que eu li aquele nome. “não é ele” “não é ele” ficou ecoando na minha cabeça até que ele me chama atenção. – Olá?

– Ah, e-er... me desculpe eu não tinha visto – e saí correndo de lá atordoada, mas quando saí não havia nenhum táxi, provavelmente ela foi embora pois pensou que ele realmente estaria aqui, fiquei andando de um lado pro outro tentando ver se vinha outro. Até que ouço meu nome ser chamado.

– (Seu nome) ? – Me virei em direção onde estava sendo chamada, e avistei o garoto da livraria com um papel dobrado três vezes na mão com um sorriso que quase se equiparava ao gato de Alice no país das maravilhas. – é você? A garota da carta?

– Harry... Styles?

– Sim sou eu!


{...}


Merda! Ela não pode acordar! – Sussurrou após deixar alguma coisa cair no chão. Fingi que estava dormindo, por que pelo que eu ouvi eu “não posso acordar” fechei novamente os olhos, e logo senti o colchão afundar e alguém deitando á minha frente e começando a fazer carinhos no meu cabelo e na minha face.

– Baby acorde, feliz dia dos namorados e feliz um ano de namoro – Senti um pequeno beijo ser depositado no canto da minha boca e abri  meus olhos, “acordando”.

–Bom dia! –Falei sorrindo esfregando os olhos e me sentando na cama e observando o quarto com muitos buquês de margaridas por todos os lados e uma pequena mesa farta, com tudo que se queira num café da manhã.

– Bom dia princesa!

– Oh Meu Deus, Harry! Muito, muito, muito obrigada! Você é o melhor namorado do mundo inteiro! Eu te amo!

– Eu também te amo! – Ele me deu um beijo

Agora posso dizer que estou passando um dia dos namorados com um amor.
    E assim passamos á tarde entre beijos e carícias, e lembrando-se de como nós começamos nos amando virtualmente.


Nick: Hey, mandioquinhas, tudo bem? Eu peço desculpa pela demora. Em primeiro lugar agradeço a Mari, por ter esperado ( fora que ela fez a maior parte, então créditos a maravilhosa escrita dela). Espero que tenham gostado, nosso plano era postar no dia dos namorados, mas bem, eu assumo que enrolei bastante. Novamente, espero que tenham gostado! Beijos, Nick!
Mari: Oi, oi minhas goxxxxxxxxxtosasss! Tudo bom com vocês? Eu adorei escrever com a Nick, a escrita dela é simplesmente incrível! e de tudo o que ela escreveu eu amei! Obrigada Nick! Então mil desculpas pela demora de quase dois meses de atraso, mas nós fizemos muito em cima da hora, então espero que nos desculpem! I hope you liked! Love you! XOXO Mari!

Imagine Liam Payne | Who Is She? (Parte 4-Final/Pedido)

em 5 de setembro de 2015 | 2 comentários:


Faça seu pedido  → aqui
Parte I | parte II | parte III 

A dor é uma coisa horrível de se sentir...
Tem a dor carnal, aquela que só dói quando você se machuca externamente e a dor sentimental, a que dói no coração quando se ama uma pessoa.
Nesse momento (seu nome) desejava com todas as forças ter uma dor carnal e não uma dor sentimental. Desejava ter cortado o dedo com a faca enquanto cortava alguma coisa na cozinha e como todas às vezes que isso aconteceu ter Liam ali para se preocupar e correr para fazer um curativo a fazendo rir da cara preocupada dele e repetir várias vezes que não havia sido nada.
Essa dor que ela sentia era uma dor talvez incurável, não há curativos que a faça parar de doer nem mesmo temporariamente, não há nada que a cure a não ser Liam entrar pela porta dizendo que ele se lembrava dela e a amava, que tudo aquilo havia acabado e eles podiam se amar de novo como sempre deveria ser.
Mas enquanto isso não acontecer, seu coração continuará sangrando e doendo.
Seu único motivo para sorrir era Lewis, o garoto sempre tagarelava coisas banais de criança e assim distraia sua mãe um pouco. Mas nem sempre eram coisas de criança, sua cabecinha ainda tentava entender o porquê de seu pai não está mais ali, (seu nome) sempre respondia a mesma coisa "ele está ocupado com o trabalho". Lewis abaixava a cabeça e soltava um "hum..." baixinho.
(Seu nome) sabia que seu filho também estava sofrendo com a ausência de Liam, e se sentia pior por mentir, mas o garoto é novo demais para entender o que se passa.
Faz exatamente duas semanas que o Liam saiu de casa, o divórcio demoraria dois meses para ficar pronto e isso de certa forma deixou (seu nome) menos triste, ela ainda nutre a esperança de que Liam se lembraria e eles voltariam a viver juntos, afinal, quem ama espera o tempo que for preciso para ter a pessoa amada e algo bem no intimo dela dizia que a solução dos seus problemas não demoraria anos para se resolver.
Um mês e meio depois
Hoje é um dia tão importante para Liam quanto para (seu nome), se ele estivesse em casa seria acordado com uma sessão de beijos e 'felizes aniversários'.
 Esse dia foi um dia em que (seu nome) não pode deixar de chorar ao acordar, como de costume, ela já acorda tateando a cama a procura dele e a decepção de estarem separados sempre vem ao se lembrar que ele não está mais ali.
Hoje ela veria Liam pela primeira vez desde que ele saiu de casa, ao contrario de Lewis que o via sempre que possível. Nesse mês que passou, Karen mãe de Liam, sempre buscava o neto para passar um tempo em sua casa e toda vez fazia questão de dizer a (seu nome) o quanto ela sentia muito pelo o que acontecia... Mas a verdade é que ninguém sentia o bastante quanto ela mesma.
Estando arrumada juntamente com Lewis, (seu nome) deu partida em seu carro checando mais uma vez se o embrulho com o presente estava no banco ao lado.
(Seu nome) estava a caminho da casa da sogra onde haveria um aniversário apenas para pessoas intimas de Liam, ela estava nessa lista, mas tem certeza que só foi convidada por causa do filho.
Estacionou seu carro vermelho em frente a grande casa, saiu do mesmo abrindo a porta para o pequeno Lewis e o entregando o presente que era um álbum com fotografias de seu computador que ela fez questão de revela-las e montar o álbum com os momentos que julga os mais importantes de suas vidas em família.
Travou as portas do carro ligando o alarme e pegou na mão de Lewis caminhando até a porta, suspirando antes de bater na mesma. Logo a porta foi aberta e Sophia sorriu olhando para os dois a sua frente.
- Lewis querido! - falou animada se abaixando um pouco para ficar na altura do menino que não a deu a mínima atenção - Oi (seu nome)! - voltou à posição ereta e falou com menos empolgação que antes
- Oi! - falou seca e logo entrou com Lewis vendo alguns familiares e amigos de Liam na sala
Assim que os viu Liam foi rapidamente até o filho com a frase de sempre "Ei Campeão" - que (seu nome) sentia uma imensa falta de escutar - levantando o filho e o girando no ar fazendo com que a mulher sorrisse minimamente com a cena e as gargalhadas do filho.
- Papai é para você! - o pequeno Lewis assim que posto no chão falou e entregou o presente nas mãos do pai
- Obrigado filhão! - sorrio fazendo cócegas no menino
- É... Feliz aniversario Lee... Liam! - (seu nome) falou baixo e logo se corrigiu ao chama-lo pelo apelido olhando e desviando ao mesmo tempo o olhar ao seu marido. Por que era tão difícil?
- Obrigado... E obrigado por vir e trazer o Lewis... - sorriu
E antes de poder falar qualquer coisa, Sophia apareceu puxando Liam pelo braço "vem Lee, todos estamos esperando você para a conversa", e o coração de (seu nome) se apertou por conta da a proximidade dos dois.
Mantendo-se um pouco afastada de todos, (seu nome) observava todos naquela sala sentindo-se uma intrusa. Imersa em seus pensamentos ela pensava o quão a noite seria divertida e quantas risadas ela daria juntamente a Liam como acontecia em todas as datas comemorativas.
Ela continuou inundada por seus pensamentos até sentir uma mão seu ombro, virando um pouco a cabeça até ver ser loiro ao seu lado.
- Oi Niall... - sorriu forçado como estava fazendo nos últimos dias
- Eu sei que é difícil para você... Peço desculpas por não ser um bom padrinho se casamento e não ter ido te visitar.
- Não tem nada... - continuou olhando as pessoas
- Eu estava viajando e não pude voltar, mas me falaram o que havia acontecido... Eu não quis ligar porque não achei que fosse assunto de telefone. - ele passou a mão pelas costas dela - Eu sinto muito!
- Eu tenho ouvido essa frase quase o tempo todo... - riu forçado - Parece até que alguém morreu.
- Eu sei que dói... Me desculpe!
- Não precisa se desculpar... Obrigada por se importar! - sorriu olhando para ele
Quando (seu nome) voltou a olhar para a sala, notou a ausência de duas pessoas que seria impossível passar despercebida por ela.
Com certo medo direcionou seu olhar para a porta aberta da cozinha e preferiu não ter o feito. Sophia e Liam estavam aos beijos encostados na bancada da cozinha.
Seus olhos rapidamente se encheram de lágrimas e ela tentava segurar o choro e vendo que não conseguiria, saiu em disparada pela porta da frente se encostando em seu carro e deixando todas as lágrimas saírem de seus olhos. Logo sentiu braços ao seu redor e se permitiu chorar mais alto tentando fazer a dor se esvair junto com as lágrimas.
Liam estava confuso tentando saber o porquê de Sophia ter o beijado tão repentinamente. Assim que parou o beijo sua mãe entrou pela porta da cozinha os mandando ir até a sala e Liam o fez saindo sem ao menos esperar por Sophia.
Ao olhar Lewis brincando com suas irmãs na sala, notou que ali não tinha a presença da mãe do menino ficando confuso ao pensar se ela teria ido embora e o deixado para dormir ali.
Todos foram interrompidos por Karen saindo da cozinha com um bolo em mãos cantando parabéns logo sendo acompanhada de todos os outros.
Na cabeça de Liam começou a passar cenas como se fosse um filme, quem saia da cozinha não era a sua mãe e sim (seu nome). Assim como era (seu nome) que lhe entregava um presente o beijava em seguida, como era também ela que entrava no quarto com um bolo nas mãos cantando parabéns enquanto um Lewis com cara de sono pulava em sua cama. Momentos de suas ferias na Disney, dele fazendo curativos no dedo da mulher desastrada com facas, ele jogando bola com Lewis em um piquenique enquanto (seu nome) os olhavam sentada com um largo sorriso em seu rosto e finalmente as cenas do casamento, quando ele jurou amar a mãe do seu filho até o ultimo dia de sua vida.
Liam olhou para todos os cantos daquela sala e se sentiu vazio, correu até a porta deixando todos sem entender, ele estava disposto a pegar seu carro e ir até onde sua mulher estava e dize-la que a ama mais que tudo e consertar as coisas que aconteceu nos últimos meses.
Assim que botou seu pé para o lado de fora, viu (seu nome) abraçada a Niall enquanto o mesmo acariciava seus cabelos. Pelo movimento dos ombros da mulher ele sabia perfeitamente que ela estava chorando, o que o doeu no fundo da alma.
Ele caminhou até eles e Niall foi a soltando de vagar dando espaço para Liam abraça-la, e assim ele o fez sem perder tempo.
- Desculpe meu amor... - Liam tinha seus olhos inundados por lágrimas - Desculpe por tudo que aconteceu. - (seu nome) olhou nos olhos do marido sem entender. Ele havia se lembrado? - Eu te amo... Te amo tanto que chega a doer... Eu não sei como pude me esquecer... Me desculpe!
Agora os dois choravam, estavam tão fechados naquele momento que nem perceberam a plateia que se formava na porta da casa.
- Eu ainda tinha esperanças que você se lembraria... - sorriu - Mas quando eu te vi a beijando, foi como o que restasse em mim tivesse sido extinguido do meu ser. - o abraçou apertado - Mas eu te amo... Te amo demais, muito... E você se lembrou. - sorriu
- Me desculpe amor... Por favor... Me perdoa!
- Não há nada para ser perdoado Lee... Eu te amo!
Então os dois se beijaram sendo aplaudidos por quase todos que estavam vendo a cena, tendo exceção apenas por Sophia.
Lewis correu e abraçou as pernas dos pais que sorriram entre o beijo.
Agora nada mais poderia os abalar... Nem mesmo uma amnésia repentina.
Um mês depois
- Liam James Payne, o senhor aceita mais uma vez casar-se com (Seu nome completo), prometendo ser fiel, amá-la e respeitá-la na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza por todos os dias da sua vida?
- Aceito! - respondeu sorrindo para a mulher a sua frente e acariciando a sua mão
- E você (seu nome completo), aceita mais uma vez Liam James Payne com seu legitimo esposo, prometendo ser fiel, amá-lo e respeitá-lo na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza por todos os dias da sua vida?
- Nós aceitamos! - sorriu acariciando sua barriga
- Isso é o que eu estou pensando? - perguntou Liam com os olhos arregalados e sorrindo largo
- Uhum... - assentiu sorrindo
- Eu amo tanto você!
E então ele a beijou...
Com um beijo carregado de amor Liam selou sua renovação de votos com a mulher que ama e q
ue nunca mais vai esquece-la... E isso é uma promessa, uma promessa que ele fez.

The End!
Hiiii Lovers! Estou de volta com esse fim que não me agradou muito, mas esta ai... Estou pensando seriamente em fazer uma longfic ou um imagine de partes com o Niall.
Até qualquer hora... Bye!