Image Map

Imagine Harry Styles | Grávida (Pedido/ Parte 2)

em 29 de novembro de 2014 | 59 comentários:


– Não vá muito longe, James. – Falei assim que soltei sua mão quando chegamos ao parquinho
Passaram-se três anos desde que James nasceu e nada poderia ser melhor do que tê-lo. A cada dia que passa, ele se parece mais com o pai e isso não é mais problema para mim. 
Sempre que saio com James eu vejo Harry nos olhando de longe, mas ele nunca teve coragem suficiente para se aproximar de nós.
Sentei-me no banquinho que ficava de frente para os brinquedos e me dava toda a visão do que o James fazia. Agora ele brincava com uns garotinhos que encontramos sempre por aqui.
James tem cabelos castanhos com cachinhos, olhos verdes e covinhas exatamente como o pai, ninguém podia negar que ele é filho do Harry.
Às vezes ele me pergunta sobre o pai, mas eu logo dou um jeito de mudar de assunto que ele nem percebe.
Vi de canto de olho alguém se sentando do meu lado, sem nem prestar atenção continuei olhando James que descia no escorregador.
- Ele cresceu rápido. – ouvi a voz rouca de Harry, ele era a pessoa que estava ao meu lado.
– Se para você ele cresceu rápido, imagine para mim que sou a mãe. – falei sem olhá-lo
– E eu sou o pai dele! – encarei-o com cara de deboche
–  Serio? Agora ele tem um pai? – perguntei irônica
–  (seu nome) eu era um moleque, não sabia o que fazer e...
–  Resolveu pular fora me deixando sozinha. – o interrompi – Conheço essa história.
– Eu não pulei fora, eu sempre estive com vocês, só não perto suficiente para me verem. – neguei com a cabeça
– Você acha que eu não via você escondido nos observando?! – o encarei – De que isso adianta se você não passou noites acordado ao meu lado quando o MEU filho estava doente. Quando ele disse sua primeira palavra ou quando ele deu seus primeiros passos. Observá-lo de longe não ameniza sua rejeição, nada vai mudar o fato de você não aceitá-lo. – vi seus olhos se encherem de lágrimas
– Eu queria tanto mudar o passado... Eu amadureci e vi o quanto eu fui idiota por deixá-los ir. – passou as costas da mão para limpar as lágrimas que escorriam pelo seu rosto
– Você não pode mudar o passado, mesmo se pudesse eu não esqueceria. – voltei meu olhar para James
– Posso te fazer um pedido? Eu sei que eu não tenho esse direito, mas... Me deixe conhecê-lo? – ele segurou minha mão entre as suas
– Sabe Harry... – puxei minha mão – Se você me fizesse esse pedido há três anos eu o negaria. – ele abaixou a cabeça – Mas ser mãe me ensinou muita coisa e eu não sou mais a garota magoada e abandonada que você deixou. Eu deixo você conhecê-lo, só vai com calma.
– Obrigado! – deu um pequeno sorriso

[...]

Fazem dois meses desde que James sabe que tem um pai, quando contamos a ele o baixinho quase teve um infarto de alegria, qualquer coisa que fazia queria que Harry estivesse com ele.
Harry vem buscá-lo todo final de semana, pagá-o no sábado e o entrega no domingo.
Nos primeiros finais de semana eu senti tanta falta do meu menininho que até pensei em não deixá-lo ir para casa do Harry, mas só de pensar no rostinho triste dele eu deixei que continuasse visitando o pai.
Agora mesmo eles acabaram de chegar de um dos finais de semana que eles chamam de “diversão para homens”.
Abri a porta e James pulou em meu colo, distribui vários beijos em seu rosto ouvindo sua gargalhada gostosa.
– Achei que você tinha me abandonado. – falei fazendo bico com James ainda em meu colo
– Eu e o papai fomos tomar sorvete. – disse animado
– Antes do jantar? – encarei Harry fingindo estar brava
– Ele que pediu, não tem como resistir a esses olhinhos pidões. – deu de ombros
– Eu sei bem como ele é... – sorri colocando James no chão e o mesmo correu para dentro de casa – A propósito, oi Harry!
– Oi (Seu apelido)! – inclinou-se para me beijar, mas eu virei o rosto.
– Já conversamos sobre isso... Não vamos misturar as coisas. – dei espaço para que ele entrasse
– Desculpa!
Assim que Harry entrou, fechei a porta e fui até a sala sentando-me na ponta do sofá e ele em outra.
Quando aceitei que ele poderia ser um pai presente na vida de James, deixei bem claro que não seriamos mais nada além de pais do mesmo filho e talvez amigos. Ele conseguiu minha amizade e ainda arisca ser algo a mais, porém, eu não o darei a chance de quebrar o meu coração outra vez.


Voltei! Uou! (mania da Camila) Espero que tenham gostado da continuação (eu não gostei do final) e eu não quis que eles voltassem a ficar juntos. Vou escrever Girlfriend e logo depois os pedidos das minhas lindas leitoras. Bye!


imagine Harry Styles

em | 47 comentários:

Daniella Menezes
 Harry POV

O amor não significa nada se você não estiver com a pessoa que ama e com quem quer assumir um compromisso, você não pode pensar só em si mesmo, tem que pensar também no que a outra pessoa quer, não só agora, mais também no futuro.
No momento em que ela mais precisou de ajuda eu a abandonei, a julguei, a maltratei, só quando eu precisei da ajuda dela eu a amei outra vez, eu a valorizei, mais era tarde, pois ela podia não está mais aqui.
Mesmo assim ela me amou com toda a força que tinha, nunca mentiu, simplesmente dizia a verdade quando lhe dava na teia.

- Eu queria voltar ao passado e ter mudado tudo. Eu queria um lugar onde pudéssemos recomeçar e ser felizes novamente. (Ela me olhava sem dizer nada, apenas me olhava e escutava o que eu dizia. Eu segurava sua mão fortemente, como se nunca fosse solta-la) – O que você acha Seunome?
- Acho que às vezes é preciso começar de novo. Acho que é muito admirável quando uma pessoa consegui recomeçar sua vida. Mas, vejo que você não está conseguindo, e eu sei que é por que se senti culpado!
- Eu te deixei quando você mais precisou!
- Você estava assustado, e vejo que ainda está, e eu te entendo, como é que você vai ficar com uma pessoa que pode morrer a qualquer momento?
- Eu fui egoísta, eu era seu namorado, eu tinha que ficar do seu lado. Agora, seu estado piorou você ainda está na fila para receber um transplante e eu não posso te ajudar.
- Isso não é culpa sua.
- É sim Seunome. Eu te amo Seunome.
Eu beijei sua testa.
- Eu te amo, meu lindo e estranho Harry.

(...)

Médica: - Tem certeza que quer fazer isso?
XXX: - Absoluta! Apenas entregue isso!
Médica: - Tudo bem. O que você está fazendo e muito lindo!
XXX: - Eu sei, sinto que é o que eu devo fazer.
Médica: - Adeus.
- Adeus.

 Você POV

Algum tempo depois..

Eu estava preste a receber alta, estava sentada no jardim respirando ar puro. Eu estava triste, pois nunca mais tinha o visto, ele sumiu desapareceu, não veio me ver, não ligou, não deu noticias.
Mas, eu já devia está acostumada, sempre que as coisas pioram ele foge, mais no fundo eu tenho a esperança de que ele vai voltar.
XXX: - Seunome?
Virei-me e vi a doutora Maura.
- Sim.
Dr. Maura: - Tenho que lhe entregar algo, que eu já devia ter lhe dado há muito tempo atrás, mais decidi que era melhor que você se recuperasse primeiro.
- Do que está falando?
Dr. Maura: - Você pode ir embora hoje mesmo!
- Ah meu Deus, que ótimo!
Eu a abracei e a mesma retribui o abraço fortemente
Dr. Maura: - Toma Seunome. “Ela estendeu um papel para mim” – Ele te amava muito.
Peguei o papel da mão dela, mais não entendi o que ela estava tentando me dizer. Ela sorriu se virou e saiu.
Sentei novamente no banco e abri o papel. Eu conhecia aquela letra, ela a letra dele, do Harry.

Querida Seunome,

“Queria está aí nesse momento para ver seu lindo sorriso, e ver seus olhos brilhando ao me ver.. Queria poder sentir mais uma vez seu suave toque, e seu beijo calmo.. Queria sentir sua mão lisa e delicada.. Queria senti-la novamente, queria tocar cada parte do seu corpo outra vez, queria amá-la de corpo e alma mais uma vez.
Queria mais uma vez poder te dá bronca, e ver você se irritar e bater o pé, só para depois eu te abraçar e pedir desculpas mesmo sabendo que eu não estou errado, queria mais uma vez arranjar um desculpa para beijá-la de cinco em cinco minutos.
Queria dizer que eu ainda te quero, e sempre quis. Lamento por ter feito você se apaixonar por mim, e ter virado as costas para você logo em seguida. Lamento não ter visto sua gravidez, e não ter visto nossa pequenina Darcy nascer, mais você como sempre compreensiva, e agüentando todos os meus tropeços, me deu a chance de conviver com ela, durante esses dois anos.
O amor não é fácil, no momento em que começamos a amar uma pessoa, temos que aceitar o fato de que um dia ela não estará mais aqui.
Quando as coisas ficaram difíceis para mim, você estava do meu lado, enfrentando tudo comigo, carregando um fardo que não era seu, e quando chegou à hora de eu retribuir isso, eu simplesmente recuei, me perdoe por isso!
Queria acordar de manhã e ouvir sua voz de sono, pedindo só mais cinco minutos para dormir. Queria te perturbar até você levantar da cama, e depois ti pegar no colo, e dizer o quanto você é linda, só para você brigar comigo dizendo que está horrível por que acabou de acordar.
Quando você se importa com alguém, não pode sentar e vê-lo sofrer, sabendo que você pode fazer algo, foi isso que eu senti. Quando a Dr. Maura me disse que você não passaria daquele dia, eu fiquei desesperado, louco, senti chão se abrir debaixo dos meus pés, senti que eu iria perder o equilíbrio, pensei na Darcy e vi que ela iria perder a pessoa que ela mais ama no mundo, que ela iria perder aquela que ela chamava de rainha, aquela que ela não poderia viver sem.
Por favor, não fique brava comigo, lembra do dia em que eu disse “Você sempre terá um pedaço de mim”? Eu sei que você lembra, pois é, agora você tem meu coração para sempre. Sim, eu que doei meu coração para você poder viver, e cuidar da nossa pequena, ela tem os meus olhos, mais tem o seu sorriso.
Você foi à melhor coisa que aconteceu na minha vida, e ainda me deu de presente a filha que eu tanto quis mais que durante nove meses eu rejeitei.
Eu só queria ficar com você o máximo que eu pudesse, sei que se eu te contasse você não iria deixar que eu fizesse tal loucura, mais não foi, e eu estou feliz por que você está viva, e mais uma vez vai poder brincar com a sua princesa.
Diga ao Lui que eu o amo muito, muito, diga a Darcy todos os dias o quanto ela foi amada por mim, diga que ela tem os meus olhos, e que eu sempre estarei com ela onde quer que ela esteja.
Não sei mais o que dizer, só sei que eu queria está aí, com você, o Lui, a nossa filha, minha mãe a Gemma e os meninos, são as únicas coisas que realmente importam para mim.
Sei que não importa onde você esteja, ou o que esteja fazendo, a minha lua sempre será do mesmo tamanho da sua.
Duvide de tudo e de todos, mais nunca duvide que eu te amo, e nunca, nunca diga que não tem um lugar nesse mundo, pois você tem a Darcy, e isso é melhor que qualquer coisa do mundo.
Os meninos e minha mãe irão ajudá-la a cuidar da nossa filha, e por favor, por favor, nunca a deixe só com o Louis.
Você me conhece melhor do que ninguém, e você é importante para mim. Você foi e é o meu primeiro e ultimo amor. E mais uma vez EU TE AMO. Você é o melhor de mim”

                                                                                         Harry E. Styles


Assim que terminei de ler aquela carta desabei em lágrimas, eu não conseguia acreditar que ele havia feito aquilo, e que era por isso que eu não tinha ido me ver.
Eu não consegui parar de chorar, eu pensava em tudo que eu tinha dito a ele, tudo que havia acontecido.
O que seria de mim sem ele? O que eu faria? A única resposta que eu tinha é que ele me amou com todo coração.
Harry foi meu primeiro amor, foi o primeiro para quem me entreguei. E assim como ele me amou de todo coração, eu o amei mais ainda, com toda a minha alma.
...

“O amor é paciente, é benigno, o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se áspera, não se alegra com a injustiça mas regozija-se com a verdade, tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”
                                                                                      - Um amor para recordar.

“O amor é frágil. E nem sempre cuidamos dele muito bem. A gente se vira e faz o melhor que pode, e torcemos para que esta coisa frágil, sobreviva apesar de tudo”
                                                                                             - A ultima musica.

“...No momento em que ela mais precisava de ajuda, foi abandonada, e somente quando ofereceu ajuda aos outros foi amada. Isso meio que sugere que é importante dar valor ás boas mulheres em nossa vida, antes que seja tarde demais”
                                                                                       - O lado bom da vida.

“Você não pode controlar as coisa que acontecem com você, mas pode controlar a forme que reage a elas”
                                                                                              - Você de novo.

“Acho que a única razão de sermos tão apegados em memórias, é que elas não mudam, mesmo que as pessoas tenham mudado”


                                                                                         - via Ultimosonho



Hey Darlin's, fiz esse mini a muito tempo atrás, a muito tempo mesmo e eu gosto muito dele, eu fiz ele para Tay por ela ser uma Mrs. Styles, mas, resolvi dividir ele com vocês, então espero que gostem, esse mini é muito especial para mim. Obrigado pelos ccomentários das outras postagens um beijo da Mrs. Payne. Um abraço da Dani e até mais.

Imagine Harry Styles | Grávida (Pedido)

em 28 de novembro de 2014 | 33 comentários:


Olhando o pequeno menino em meu colo lembro-me de tudo que passei até aqui.
Sua feição me lembra mesmo minimamente, o garoto de olhos verdes que me ajudou gera-lo.
Nós éramos tão felizes juntos, tudo era perfeito, mas tudo acabou.
Flashback On
Ontem não me senti bem a tarde inteira e como eu não tinha aula na faculdade hoje, resolvi ir ao hospital que é onde eu estou agora.
Estou sentada na sala de espera à uma hora esperando eu ser chamada, na verdade eu já me consultei e o médico passou um exame de sangue o qual eu estou esperando ficar pronto. Eu estava lendo uma revista qualquer de moda, quando ouvi chamarem meu nome.
Coloquei-me de pé e segui a enfermeira até a sala que eu estava uma hora atrás, Dr. Johnson já estava com o envelope nas mãos, sentei-me na cadeira à sua frente encarando-o.
–  Pronta para saber o que está acontecendo com você? – dr. Johnson pergunta e eu assinto vendo-o abrir o envelope lendo somente para si o conteúdo do papel que estava lá dentro – O que disse que estava sentindo?
– Cólica, dor de cabeça e vomitei algumas vezes.  – falei tentando me lembrar de tudo
– Nem passa pela sua cabeça o que isso possa ser? – neguei o encarando – Esses são os sintomas óbvios de uma gravidez, por isso que eu pedi para que fizesse o exame.
– Gravidez? – perguntei assustada
–  Sim senhorita (seu sobrenome)... Você está grávida!
Quando eu ouvi essa frase sair da boca dele, tudo ao meu redor começou a girar e imagens da noite em que eu e Harry esquecemos a camisinha vinham a minha cabeça.
Despedi-me do Dr. Johnson e sai de seu consultório ainda sem acreditar, não que eu não estivesse feliz, eu estou carregando o fruto do meu amor por Harry esse já é um motivo para eu estar radiante, só fui pega de surpresa.
Imagine eu, uma garota de dezenove anos esperando um filho de um garoto de vinte, isso não é o certo, mas o que está feito não pode se desfazer.
Já posso até nos imaginar correndo atrás da menina ou do menino quando ele aprendesse a andar, a nossa felicidade de escutá-lo dizer a primeira palavra, o aperto no peito quando tiver que deixá-lo na escola com Harry tendo que me segurar para eu não voltar e pega-lo colocando-o de volta no carro. Toda essa visão do futuro me fez sorrir largo enquanto eu saia do hospital a caminho de casa.
Peguei a chave do apartamento que meus pais me deram quando eu sai de casa e abri a porta, entrei no lugar onde eu tive momentos de risos e choros com Harry, a partir de agora teria mais um serzinho ocupando aquele espaço.
 Sentei-me no sofá tirando o celular da bolsa e mandei uma mensagem para Harry.
“Amor, eu estou em casa e tenho uma noticia para te dar... Venha o mais rápido que puder, estou ansiosa para que você possa saber.”
Logo recebi um “Tudo bem, você me deixou curioso.” como resposta.
Vinte minutos depois Harry entrou porta adentro e sorriu ao me ver, eu ainda estava sentada no sofá só que agora acariciando a minha barriga.
Ele caminhou até mim e me deu um selinho demorado.
– Estou curioso o que tem a me dizer? – sentou-se ao meu lado
– Eu estou muito feliz, na verdade estou quase explodindo de alegria... – falei animado o encarando enquanto ele estava com cara de quem não estava entendendo nada – Eu estou grávida!
– O quê? – ele levantou
– Grávida, amor... Tem um bebê aqui dentro. – a cariciei a barriga ainda sem nenhum crescimento visível
– Disso eu sei, mas como isso foi acontecer? – ele passou as mãos por seu cabelo visivelmente nervoso
– Você não gostou da noticia, Harry? – meu sorriso desapareceu dando lugar ao nervosismo
– Como você quer que eu goste? Eu tenho vinte anos tenho muito que curtir antes de ser pai. – me encarou
– Você está rejeitando seu filho? – perguntei com lágrimas nos olhos – Está me rejeitando?
– Eu não posso carregar essa responsabilidade, me desculpe. – ele sentou-se apoiando os cotovelos nos joelhos com as mãos na cabeça
– E eu posso carregar essa responsabilidade sozinha?! – limpei minhas lágrimas – Esse é o significado do amor que você sempre disse que existia por mim?!
– Eu não estou dizendo que eu não te amo, só estou dizendo que não estou pronto para ser pai. – ele tentou me tocar, mas eu me esquivei.
–  Eu não quero um amor que quando a pessoa mais precisa ele vira as costas, isso não é amor... Não é! – Limpei novamente as lágrimas que não parava de descer pelo meu rosto – Vai embora daqui com esse seu amor fajuto.
Abri a porta e Harry se levantou devagar passando pela mesma, antes de fechar a porta meu olhar encontrou-se com o dele e então eu bati a porta em sua cara.
Permiti meu corpo deslizar até o chão pensando no que seria de mim e do meu filho.
Flashback off
Os meses sem Harry foram realmente difíceis, comecei a ter pesadelos e sempre acordava no meio da noite chorando, meus pais me levaram para casa deles, eles ficaram com medo de acontecer algo comigo ou com o meu filho.
O apoio dos meus pais foi fundamental para eu superar e manter meu filho saudável, Harry ainda me faz falta e na hora do parto eu queria tanto que ele estivesse comigo.
– Filha, vocês já podem ir para casa. – disse minha mãe entrando no quarto – Você está pronta? – somente assenti
Levante-me da cama com o pequeno James no colo e segui com minha mãe para o corredor.
Ao sair no hospital pude ver meu pai nos esperando na porta do carro, sorri fraco para ele que retribuiu com um aceno com a cabeça.
Meus pais sabiam que eu não estava bem, ter James em meus braços me lembra daquele maldito dia e todos os planos fracassados que fiz quando descobrir que ia tê-lo.
Antes de entrar no carro, pude ver do outro lado da rua a figura de um homem de cabelos compridos que eu tenho certeza absoluta ser Harry. Ele nos encarava e eu sustentei seu olhar até vê-lo abaixar a cabeça.
Entrei no carro e meus pais fizeram o mesmo, me pai deu partida e eu continuei olhando Harry até que ele desaparecesse.
Era muito tarde para um possível arrependimento, eu não aceitaria ele de volta... Nunca mais.


Oi amores! Oi Sam (outra Mrs. Styles) espero que tenha gostado e comente o que achou, por favor. Desculpe qualquer coisa, eu não quis demorar a fazer o pedido então esse foi o que eu consegui fazer. Bjos!

Imagine Harry Styles | Ilusão

em 23 de novembro de 2014 | 11 comentários:


Seunome POV’s

Ilusão. Tudo não passou de uma tremenda ilusão. Os “eu te amo”, os presentes, tudo uma tremenda farsa, um jogo idiota chamado: amor.
Como eu pude ser tão burra e frágil ao ponto de acreditar naquele cretino, eu fui tão ingênua, mas, isso acaba agora.
Bati na porta com todas as forças que eu tinha, segundos depois vi Harry abrir a porta com sua cara de safado.
- Sabe que horas são s/n? – ele passou a mão no rosto.
- Foda-se as horas! – alterei o tom de voz.
- Você sabe que eu odeio quando você xin...
- Pouco me importa o que você gosta ou não! – gritei.
- Você ficou maluca? Perdeu o juízo? – ele deu o passo para fora da casa – Preste atenção no jeito que você fala comigo!
- Falo com você do jeito que eu quiser, por que você é nada. Você é um lixo Styles! – gritei para ele.
- Se você acha que veio até aqui essa hora para me insultar, você está muito enganada vadia!
Ele me deu um empurrão que quase me fez cair no chão.
- Isso, mostre quem você Styles. – eu o desafiei – Mostre o canalha, hipócrita que está dentro de você!
- Cale a boca s/n!
- Ah! Que isso Hazz, não se faça de burro, eu já sei de tudo! – eu dei um tapa em seu peito. – Para de fingir Harry!
- Cale.. a.. boca!
- Não é homem suficiente para falar na minha cara? Ah! Que peninha!
- Já chega!
Aconteceu muito rápido, senti a mão de Harry chocar-se contra meu rosto.
- Ah! – eu cambaleie para o lado.
- Eu disse para calar a boca. – ele me deu outro tapa, agora do outro lado do rosto – Eu te avisei!
Ele me empurrou e eu cai no chão, senti o gosto de sangue na minha boca.
- Imbecil! – eu disse cuspindo o sangue da minha boca – Você é um cretino!
- Porra s/n! ‘Tá’ vendo o que você fez? – ele lamentou.
Me levantei apoiando-me na mesinha de chá da tia Anne, que ficava na varanda.
- Acha que eu não sei que você estava na cama da Emma hoje? – eu olhei em seus olhos – Achou que ia conseguir me enganar por muito tempo? – eu falava olhando em seus olhos e ele parecia não se importa com aquilo que eu estava dizendo. – Eu sei de tudo Harry.
- Já terminou? – ele perguntou ironicamente.
- Você dizia que me amava, que queria passar todos os dias da sua vida do meu lado, todas as flores, quando você dizia que você era meu Harry, só meu! – senti lágrimas se formarem em meus olhos – Eu vivia para você Harry, você disse que nunca me magoaria que nunca me decepcionaria. – as lágrimas agora escorriam pelo meu rosto – Você me enganou, mentiu me iludiu!
- Para com isso s/n, que saco eu em! Sim eu estava na casa da Emma. – ele se aproximou comigo – E devo confessar que ela é muito boa de cama, você nem faz idéia. – ele me olhou nos olhos – Era isso que você queria ouvir? Está satisfeita agora?
- E..eu..
Eu não consegui dizer nada, ouvi aquelas coisas dele era pior ainda. Meu mundo tinha se acabado.
- Satisfeita vadia? Agora você pode ir embora e me deixar dormir? – ele se virou – E amanhã vamos para Los Angeles, então esteja pronta as sete. – ele voltou em minha direção e passou a mão em meu cabelo. – Quero minha vadia arrumada!
Harry sorriu e virou as costas para mim.
- Harry? – eu o chamei.
- O que foi? – ele disse de mal humor.
- Lembra quando você perguntou se eu tinha perdido o juízo?
- Ah! Vai se catar s/n! – ele começou a andar.
- Pedi meu juízo na cama do Tomlinson! – eu gritei para ele – E tenho que admitir, ele é bem melhor que você! – eu sorri.
- O que você disse? – ele começou a andar em minha direção.
- Que o Louis é muito bom na cama, melhor que você!
- Vadia! – ele me empurrou – Eu vou acabar com você cadela!
Ele me deu um tapa no rosto, tentei me defendo e empurrá-lo, mas, ele foi mais forte e me pegou pelo braço e desceu a pequena escadinha comigo.
- Me solta Harry!
- Cala a boca!
Ele me deu um murro nas costas.
- Você vai vê o que eu vou fazer com você! – ele disse furioso.
Ele me empurrou contra uma árvore e eu cai no chão, ele me olhou e eu podia vê fúria em sua face, sentia meu rosto queimar e minhas costas doer.
- Cretino! – eu sussurrei – Eu te odeio Harry, eu não quero mais você!
- Você não quer? – ele disse incrédulo – Tudo bem sua vagabunda, mais quando eu acabar nem o Tomlinson vai te querer!
Ele me puxou pelo cabelo me fazendo ficar de pé.
- Me solta! – eu gritei – Me solta Harry!
- Cala a boca! – ele me deu outro tapa no rosto. – Cala a boca!
Ele saiu me puxando pelo cabelo, até a porta de sua casa. Vi Tia Anne sair para fora de casa.
Anne: - Harry o que está fazendo? – ela perguntou assustada – Solte a s/n Harry, agora!
 - Me solta! – eu agora chorava.
Harry: - Sabe onde essa vadia estava mãe? Ela estava na cama do Louis!
Ele me empurrou contra a escada e eu cai no chão, imediatamente senti os braços de Anne em volta de mim.
Anne: - Isso não é motivo para você encostar um dedo nela!
Harry: - Ela me usou! – ele gritou.
- Você me usou Harry, eu cai na sua armadilha, você me enganou, mentiu para mim, era tudo fingimento. – me soltei dos braços de Anne, enquanto Harry virava as costas para mim – Eu ainda não terminei! – gritei e ele me olhou – Pegue a droga desse anel. – tirei o anel de noivado do meu dedo e o joguei para Harry – Enfie esse anel...
Anne: - S/n, por favor! – ela me interrompeu.
Eu e Harry apenas nós olhamos, ele pegou o anel do chão e eu me virei saindo dali.
Harry: - Esta terminando comigo? – ele gritou.
- O que você acha?
Harry: - Vadia! Aposto que já está indo para a cama do Louis!
Anne: - Pare com isso Harry!
Vi Anne o puxar pelo braço.
- Eu te odeio Harry, você acabou com a minha vida. – fui em sua direção e dei um murro em sua cara – Cretino! – eu o empurrei – Quero que você vá para inferno e não eu não estou indo para a cama do Louis! – dei outro tapa em seu rosto – Eu não sou igual a você.
Assim que levantei a mão para bater nele novamente, Tia Anne se colocou entre nós.
Anne: - Pare com isso você dois!
Harry tentou vim para cima de mim.
Harry: - Eu vou acabar com você s/n! – ele gritou.
- Você já me destruiu Harry!
Anne: - Já chega! – ela gritou – Vá embora s/n e você Harry entre agora!
Eu e Harry nos olhamos pela ultima vez, eu queria chorar, eu não queria acreditar que aquele Harry com quem eu iria me casar nunca existiu. Aqueles olhos verdes não eram mais os que eu vi há anos atrás, aquele não era o Harry para quem eu me entreguei.
Der repente vi uma lágrima cair do rosto de Harry, o que me surpreendeu, pois, eu nunca vi Harry chorar. Confesso que naquele momento senti uma pontada de arrependimento, mas, ele podia está fingindo.
Harry: - E... eu.. s...
Virei às coisas para eles e sai em direção a minha casa. Não pensei em olhar para trás e nem pensar em: se as coisas fossem diferentes. Eu já tinha feito a minha escolha, Harry Edward Styles não era o homem da minha vida.


Peguei a capa da Tay por que estou com preguiça de fazer uma. Obrigado pelos comentarios, vocês são legais.. Beijos.

Mini Imagine Larry Stylinson

em 18 de novembro de 2014 | 9 comentários:

Larry - Daniella Menezes


                                       “Os espaços entre nós continuam ficando maiores”


- Você lembra do dia em que olhou em meus olhos e se esqueceu do que estava falando?

Do dia em que eu fiquei na lateral do campo e depois corri para parabenizá-lo?

Quando eu o levei para o hospital quando você machucou o pé na praia? Quando eu disse que estava com saudades?

Quando você lambeu meu nariz?

Quando fiquei esperando você chegar do hospital e quando ti vi sai correndo para te dá um abraço?

Quando eu disse que a minha primeira paixão de verdade foi você?

Quando você disse que definitivamente escolheria passar a noite comigo?

Quando eu beijei a sua nuca em um bar?

Quando você fez uma tatuagem com a minha escrita?

Quando eu pulei no seu colo?

Se lembra de todos os olhares indiscretos e sorrisos trocados? Todos os abraços apertados sem precisar dizer algo, por que sabíamos o que ambos estavam sentindo?

Você se lembra disso?

Quando eu te agarrei e ti dei um beijo no pescoço?

Ela me olhou sem entender o que eu dizia.


- Não faço ideia do que você está falando Louis? 

- É esse o problema Els, nada disso que eu falei eu fiz com você ou você fez comigo, essas sensações, esses olhares e sorrisos, nada disse foi com você, foram com outra pessoa!

- Eu não sei onde você está querendo chegar com isso, mas...               

- Não tem “mas” Els! – fiz uma pausa, e me aproximei dela – Seja sincera comigo, quando foi a ultima fez que a gente se divertiu de verdade? Há ultima vez que você disse que me ama ou vice e versa?  Quando foi a ultima vez que sorrimos um para o outro verdadeiramente? – vi os olhos dela se encherem de lágrimas – Pode ser sincera.

- Há muito tempo! – uma lágrima escorreu pelo seu rosto – Mas, agente se ama e é isso que importa! 
– ela chorava.

- Importa sim, por que é da nossa felicidade que estamos falando! Meu coração não acelera mais quando eu ti vejo, meus olhos não brilham mais quando você sorri para mim, e eu vejo isso em você também, não há mais desejo, muito menos amor, nós nos apegamos um ao outro, mas, isso não é amor.

- Eu preciso de você! – ela disse entre os soluços – Preciso de você aqui, comigo!

- Eu não vou te abandonar, não vou fazer isso, nunca! Mas, nós não somos um casal, nós não vamos à praça de mãos dadas ou tomamos sorvetes juntos, nós nunca saímos, é cada um para o seu lado.

- Você gosta de outra pessoa não é? – ela me encarou, as lágrimas ainda rolavam pelo seu rosto – O que ela tem que eu não tenho?

- Meu coração. – sussurrei.

- E você a ama? – ela disse de cabeça baixa.

- Mais que tudo nessa vida.

- Seu coração acelera toda vez que você chega perto dela, toda vez que você á vê, quando você fala com ela você se arrepia, quando ela te toca seu coração parece que vai explodir de tanta alegria.. – ela não estava me perguntando e sim afirmando – Seu olho brilha toda vez que você a olha, se você pudesse daria o mundo para ela.

- Se ele me pedisse, eu lhe daria todas as estrelas do céu.

- Ele? – ela perguntou surpresa, eu não respondi – Você está falando do...

- Sim! Eu vou dormi pensando nele, eu acordo pensando nele, é estranho e assustador, eu tento esconder tento ser forte, mas, toda vez que eu o vejo meu coração se parte, pois, temos que ficar afastados, e isso está acabando comigo.

- E todas essas coisas que você me perguntou, são coisas que você fizeram juntos? Eu não acredito Louis! – ela começou a gritar – Eu não acredito que você vai me trocar por aquilo, você deve está louco, fora de sim, só pode! Você já pensou no que as pessoas vão dizer, em como que elas vão te olhar? Nas conseqüências que isso vai trazer para ambas as partes...

- Eu não me importo! – eu gritei e ela estremeceu – Eu pensei nisso tudo, todos os dias dos últimos quatros e cheguei à conclusão de que não agüento mais isso, não agüento essa farsa, que venham as conseqüências e as criticas eu não me importo, enfrento tudo se ele estiver ao meu lado, o que sentimos não é amor Els!

- Eu já previa isso, desde quando você foi passar um tempo na casa dele, isso é tudo culpa dele.

- Não, a culpa é nossa, por que nós não nos amamos, nós nos suportamos! Eu tenho ciúmes dele, quando alguém chega perto dele, eu tenho que me segurar para não ir lá e da um murro na cara do infeliz..

- Mas, e eu Louis?

- Você tem que ser feliz, eu tenho que ser feliz, e só vou ser feliz se eu estiver do lado dele, é por ele que o meu coração acelera, ele ganhou essa guerra, eu não sou tão forte quanto eu pensava.
Nós nos olhamos, ela correu e me abraçou fortemente, retribui o abraço.

- Então acabou? – ela sussurrou em meu ouvido.

- Na verdade nunca houve nada! – sussurrei para ela – Gostaria de dizer que sinto muito!

- Eu também.

Selamos o abraço e nos olhamos novamente, sorri para ela e em seguida me retirei da sua casa.

...

Eu poderia escolher um caminho mais fácil, sem espinhos, sem dor, mas, não é isso que eu quero. Eu quero um amor de verdade, que me faça suspirar e enfrentar seus medos, um amor que seja dado intensamente e verdadeiramente. Não quero uma máscara e migalhas, eu quero ser feliz, quero viver. 

Quero senti minha mão suar, quero senti o chão faltando debaixo dos meus pés, quero me senti como se eu estivesse no topo do Empire State. Não quero segunda opção, a não ser que seja a mesma que a primeira: Ele.

Quantas pessoas te fazem se senti único, puro e especial? Que te faz estremecer e perder a respiração? 

Quem te faz sorri, quem te trás uma sensação de segurança? Quem faz o seu coração disparar? Com quem você quer andar de mãos dadas? Em quem você pensa antes de dormi? Só tenho uma coisa para dizer: Se esse for seu primeiro amor de verdade, lute para que ele seja o primeiro e último.

Ele mais importante para mim do que qualquer coisa. Ele é meu primeiro amor, e que quero mais que qualquer coisa que seja o ultimo. Eu quero ter ele. Quero que seja eu e ele. EU e ELE. Isso é melhor que qualquer coisa no planeta.

                                                      

Hey darlin’s um mini bem meloso para vocês de Larry. Vira e mexe as pessoas falam de Larry, a maioria só fala merda. Eu aceitaria numa boa os dois juntos, eles são muito fofos, amáveis e pegáveis. Eu realmente acho que algum dia o Boo vai usar seu dom de ser barraqueiro para dizer essas coisas para o mundo tudo, esse dia vai ser um dia bem legal (cada um acredita no que quer).. Mais espero que gostem e comentem please, um beijo para vocês, e sejam felizes pessoas lindas. 


                                      O amor é lindo, legal e tem nome. Beijão.

Imagine Zayn Malik | Love Never Felt So Good

em 11 de novembro de 2014 | 2 comentários:

Daniella Menezes

Love Never Felt So Good 


Ele me jogou na parede e me prendeu pelos pulsos, em seguida começou a distribuir beijos pelo meu pescoço, logo em seguida começou a me morder fortemente.
- Eu não acredito nisso! -sussurrei em seu ouvido-
- Nem eu! -ele disse rindo e voltou a me beijar- Eu quero me entregar para você Zayn.
Voltamos á nos beijar, coloquei uma das mãos em sua cintura e apertei levemente, ela levou as mãos até a minha nuca. Coloquei a mão por dentro de sua blusa e comecei subir a mesma pela suas costas, enfiei a mão em seu cabelo, e o puxei, Seunome arfou e eu sorri.
A puxei para o meu colo e coloquei minhas mãos em sua coxa, e comecei a apertá-las, ela passou a mão em meu cabelo e o puxou fortemente, nós sentei na cama e tirei a blusa dela com cuidado, era a primeira vez dela e eu queria que fosse perfeito. Joguei a blusa dela em algum lugar do quarto, logo em seguida ela tirou minha camisa e a jogou no chão, coloquei minhas mãos em suas costas e comecei a apertá-la junto ao meu corpo, enquanto Seunome dava mordidas em minha orelha e indo para o pescoço.
Quando eu ia tirar a parte de cima da sua lingerie ela recuou.
- O que foi Seunome? -eu perguntei preocupado- Eu ‘tô’ indo rápido demais? Me desculpe!
Ela sorriu e saiu do meu colo.
- Você precisa de uma boa garota para te surpreender!
Eu não entendi o que ela quis dizer, eu meio que deitei na cama e apoiei meus cotovelos na cama. Seunome andou até o som e o ligou, em seguida, ouvi uma musica sensual.
Seunome começou a dançar sensualmente e eu sorri maliciosamente, ela dançava enquanto tirava seu short, ficando apenas com sua lingerie vermelha, eu me amarro em um lingerie vermelha. Ela começou a rebolar enquanto mexia no cabelo, ela levou a mão até a barra da sua calcinha e a puxou um pouco para baixo, quando eu fiz o gesto que iria levantar ela parou e me olhou.
- o que foi?
- Fiquei onde está!
- Eu não ‘tô’ aguentando Seunome, você dançando para mim, com essa lingerie vermelha, eu quero muito você!

Ela sorriu e voltou a dançar, agora de costas para mim, quando ela começou a rebolar novamente eu não aguentei, andei até ela e a agarrei por trás, ela tentou se soltar mais eu apertei meus braços em volta da sua cintura e ela desistiu. Comecei a distribuir mordidas pelo seu pescoço, coloquei minhas mãos em seus seios e os apertei levemente, Seunome se virou e me beijou, em seguida, começou a arranhar as minhas costas.
A joguei na cama, e me coloquei por cima, apoiando minhas mãos na cama, comecei a pressionar meu membro contra a sua intimidade enquanto ela ia arranhando fortemente as minhas costas.
Comecei a distribuir beijos pelo seu pescoço, coloquei uma mão novamente em seu seio e comecei a massageá-lo enquanto Seunome arfava, ela mantinha as mãos em meu cabelo
o puxando, levei minha boca até seu seio e comecei a sugá-lo intensamente, eu já estava em excitado e não aguentava esperar nem mais um segundo, mais era a primeira vez dela e tinha que ser no tempo dela. Mordi o bico do seu peito e era reclamou, comecei a morder abaixo do seu peito, e descendo por sua barriga até a barra de sua calcinha, mordi sua cintura fortemente. Tirei a calcinha dela e a joguei em algum lugar, passei as pontas do meu dedo sobre sua intimidade e olhei para Seunome, ela estava com os olhos fechados, coloquei um dedo dentro da intimidade dela e comecei a movimentá-lo delicadamente, Seunome ainda mantinha os olhos fechados, e apertava o lençol da cama. Tirei meu dedo de dentro dela, e passei minha língua em sua intimidade, eu podia ouvi a Seunome arfar de prazer, continuei ali movimentando minha língua dentro dela por alguns minutos. Logo depois me coloquei de pé, tirei minha calça e minha box preta, Seunome me olhou e suspirou, me coloquei em cima dela.
- Você tem certeza? -sussurrei em seu ouvido-
- Nunca estive tão convicta em minha vida. -ela sussurrou para mim-
Antes que eu pudesse me introduzir dentro dela ela me virou para o lado e desceu um pouco na cama, quando dei por mim ela passava a ponta da língua na cabeça do pênis, logo em seguida ela o colocou na boca e começou a fazer movimentos de vai e vem com a boca, coloquei a mão em seu cabelo o prendendo entre os meus dedos e comecei a incentivá-la a ir mais rápido.
- Is.. Isso -eu disse para ela- Mais rápido meu amor!-ela me obedeceu e aumentou a velocidade dos seus movimentos- Isso querida, não pare, eu estou quase lá, só mais um pouco e eu gozo.
Segundos depois senti meu líquido sair, olhei para Seunome que limpava a boca. A girei na cama e me coloquei em cima dela, passei as mãos em seu cabelo, e depois a desci novamente para sua intimidade.
- Zayn...
- Shiii... -eu disse- Está tudo bem, se eu te machucar, me interrompa, por favor!

Olhei nos lindos olhos castanhos de Seunome e comecei a penetra - lá delicadamente, eu não queria machuca - lá, e tinha que ser o mais delicado possível, Seunome e eu fechamos os olhos no mesmo instantes. Eu queria aproveitar aquele momento o máximo possível, queria sentir todas as sensações do mundo e queria proporcionar a mesma coisa para ela.
Seunome começou a arranhar minhas costas novamente, mas, agora com mais força e pude sentir a mesma arder, em resposta aumentei a velocidade e comecei a penetrá-la com mais intensidade. Nossos corpos suados, colavam um no outro, e eu só pararia quando a fizesse gozar. Nos virei na cama a colocando por cima de mim, ela ficou sentada em meu colo, coloquei minhas duas mãos em sua coxa, e ela começou a rebolar com meu membro ainda dentro dela, ela rebolava de um jeito que me dava mais prazer ainda, em seguida, ela começou a quicar e chamar pelo meu nome.
- Zazz... -ela fechou os olhos- Zayn..
- Me chame de novo! -eu disse de olhos fechados- Me chame!
- Zayn...
Nos virei na cama agora ficando por cima dela, comecei a penetrá-la com a maior força que eu podia, nós gemíamos junto.
- Zayn...
- Seunome...
Enquanto eu a penetrava ela mordia meu pescoço e arranhava as minha costas.
- Eu estou quase lá...
Penetrei ela com mais velocidade, nossos gemidos ia ficando mais altos, naquele momento era só eu e ela, e que foda-se o mundo. Segundos depois atingimos nosso ápice juntos, me joguei para o lado da cama, ambos, suspiraram. Seunome encostou sua cabeça sobre o meu peito, e eu comecei a mexer no cabelo dela.
- Foi...
- Incrível. -ela completou o que eu iria dizer, ela apoiou o braço sobre o meu peito e olhou em meus olhos, nos beijamos intensamente. Eu amo você Seunome.
- Eu amo você Zayn.
Voltamos a nos beijar, ela veio para cima de mim e segundos depois ela parou o beijo, eu a olhei.
- Você poderia, por favor, repetir isso?
Eu comecei a gargalhar e me coloquei por cima dela. Voltamos a fazer amor novamente e eu ficaria ali a minha vida toda, fazendo aquilo, desde que fosse com ela, com a mulher com quem eu iria me casar. O AMOR NUNCA FOI TÃO BOM.



Hey darlin's, espero que tenham gostado, não sou muito boa em escrever essas coisas, mas, faço o máximo que eu posso, então espero que gostem .. E sim, eu coloquei pênis, gente não é nada demais, todo mundo sabe o que é um pênis. Ushsuhsushsuhsush .. O que vocês acharam das músicas novas do minos, eu absolutamente amei, e a voz do Liam está tão GOSTOSA, assim como o DONO, mais ele é MEU só MEU !! Eu ouvi as músicas por que eu sou rebelde, a vocês que vão esperar o lançamento, parabéns, eu não vou .. Então espero que tenham gostado e comentem PLEASE!! Beijos, beijos para vocês meus amores. Mande um beijos para as leitoras James:



Mini Imagine Harry Styles | Style (Song)

em 8 de novembro de 2014 | 4 comentários:


É difícil manter uma vida amorosa com a mídia toda em cima, eu sou um exemplo ambulante disso. Vários namoros que não terminaram bem e a única coisa que me faz não ficar tão mal são as músicas que eu escrevo.
Eu deveria aprende com isso, mas agora eu estou envolvida com Harry Styles até o pescoço. Nós ficamos, nos odiamos, voltamos e agora eu estou aqui, em frente ao hotel que eu estou hospedada esperando por ele.
Meia-noite ele veio me buscar, desceu do carro e abriu a porta para mim, não antes de me cumprimentar com um encostar de lábios.
Fazia um tempo que eu não o via desde que entramos em turnê, ele com a banda e eu com minha equipe. Estávamos na estrada há algum tempo, a estrada escura dificultava a vista da pista escorregadia pela neve ainda não derretida.
Eu deveria me tocar e manda-lo ir embora porque eu sei exatamente onde isso vai parar, mas eu só assisto enquanto damos voltas e voltas parando sempre no mesmo lugar.
Encarei Harry e assim que o mesmo percebeu sorriu exibindo as suas irresistíveis covinhas, esfreguei meus lábios um no outro, eu usava um batom vermelho como ele gosta e uma saia justa. Ele estava com seus longos cabelos jogado para trás e a sua típica camiseta branca com um casaco por cima.
Apesar de brigarmos quase sempre que nos encontramos, nós conseguimos ressurgir todas às vezes, nos nunca saímos da moda.
Continuamos no carro por mais algum tempo e ele não conseguia manter seus olhos selvagens na estrada, fica me olhando a cada minuto talvez estranhando a minha quietude, mas eu tenho que pensar, isso é a coisa que eu mais faço nos últimos dias.
Harry então parou o carro no mesmo lugar que me levava quando queríamos ficar apenas nós dois, sem nada para nos atrapalhar. Saímos do carro e encostamos no capô do mesmo, cruzei os braços tentando me manter aquecida e Harry tirou seu casaco colocando-o sobre meus ombros. Ficamos olhando a lua e eu sabia que ele estava incomodado por eu não ter dito nem sequer uma palavra e então, eu resolvi me pronunciar.
Eu: Ouvir dizer que você está andando por ai com outra garota. – me disseram isso a mais ou menos três dias, meus amigos disseram que é a Kendall Jenner, uma das Kardashians.
Harry: O que você ouviu é verdade. – virou-se para me olhar nos olhos – Mas eu não consigo parar de pensar em você! – segurou meu rosto entre suas mãos
Eu: É o que eu precisava ouvir... – olhei seus olhos e desviei o olhar rapidamente – Eu já me senti assim algumas vezes. – sorri forçado, esse seria o fim dele, o meu, o fim de nós dois.
Minha vida assim como a dele é encontrada em qualquer jornal e revista nas bancas, ele sabe mais do que qualquer um que eu quero algo sério e isso eu não encontraria estando com ele. 
Eu: Me leve para casa... - ele tentou se pronunciar e eu o cortei - Apenas me leve para casa!





Oi anjos! Esse mini é o menor que eu já fiz, eu só acrescentei algumas coisinhas, ele é todinho a tradução da música que a Tay fez para o Hazza. Amei essa música desde a primeira vez que a ouvi, é perfeita! Recomendo a ouvirem, essa música é otima!